INTERAÇÕES AMBIENTAIS E RISCOS NA PLANÍCIE COSTEIRA DO MUNICÍPIO DE ITAPORANGA D’AJUDA

Jaqueline da Silva dos Santos, Debora Barbosa da Silva

Resumo


As formas de uso e ocupação das terras na planície costeira do município de Itaporanga D’Ajuda alteram os processos geomorfológicos, hidrológicos, oceanográficos e biológicos desencadeando diversos riscos ambientais. Este artigo objetiva analisar as interações entre os processos geoecológicos e o uso e ocupação da planície costeira do município de Itaporanga D’Ajuda. A metodologia utilizada está baseada na análise integrada da paisagem, no modelo Geossistema, Território e Paisagem para compreender a dinâmica espacial e os riscos ambientais. Para esta análise foram realizados procedimentos como pesquisa bibliográfica e cartográfica, análise das imagens de satélite e pesquisa de campo. No terraço marinho, usos como a carcinicultura, pecuária, cocoicultura e aterro de lagoas para implantação de residências alteram os processos morfogênicos e as morfologias propiciando o desequilíbrio das funções geoecológicas. Nas dunas, a retirada da vegetação nativa, a extração de areia e a presença de construções intensificam o transporte eólico e a mobilidade das morfologias soterrando áreas do terraço marinho que apresentam diversos usos. Na praia, as atividades turísticas e de lazer bem como a instalação de equipamentos urbanos concorrem para intensificar os processos oceanográficos e a erosão costeira desencadeando riscos à ocupação em núcleos urbanos. Nos manguezais a exploração de espécies vegetais com diversas finalidades e a carcinicultura proporcionam alterações nos processos biológicos e hidrológicos que influenciam a perda da biodiversidade, tornando o planejamento das atividades essencial para a estabilização dos processos e minimização dos riscos ambientais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Seminários Espaços Costeiros. ISSN 2447-732X