AMEAÇAS E VULNERABILIDADES DA BAHIA DE TODOS OS SANTOS (BTS): VISANDO MITIGAÇÃO PARA O SEU PLANEJAMENTO

José Augusto Saraiva Peixoto

Resumo


Efetuou-se levantamento dos riscos, vulnerabilidades, ameaças e, capacidades. Foram identificados processos de geração de desastres, considerando-se as diversas forças sociais e políticas, onde se concluiu que o desastre é gerado ao longo do tempo. Também foram trabalhadas as bacias hidrográficas, processos naturais, uso e ocupação do solo e consequências socioambientais na pessoa humana, comunidades e sua interferência em situações adversas. Os dados secundários foram coletados sobre documentos oficiais e sítios eletrônicos de órgãos públicos e empresas, assim como nos planos diretores de grandes empreendimentos instalados na área. Os dados primários foram oriundos de anotações elaboradas pelo autor a partir dos anos 90, em diversas visitas efetuadas e pareceres redigidos em variados temas para regiões continentais e insulares da área em estudo. Todos esses dados geraram uma caracterização e um diagnóstico socioambiental. Usou-se como critério básico, o levantamento de dados físicos, biológicos e antrópicos. Os riscos e seus fatores internos foram identificados tendo a análise contemplada também os efeitos cumulativos advindos dos processos industriais e das atividades portuárias. A principal conclusão é a existência de vulnerabilidades institucionais e sociais, dentre as quais se destaca a falta de inserção do risco na cultura gerando a não percepção das ameaças, das vulnerabilidades, das capacidades e das ações prospectivas mais consequentes. Os resultados podem servir de ponto de partida na avaliação e interpretação de simulações de cenários futuros, com efeitos ambientais e socioeconômicos a serem considerados no planejamento para o desenvolvimento desta região e outras.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Seminários Espaços Costeiros. ISSN 2447-732X