OCUPAÇÃO DA ORLA MARINHA E OS PROCESSOS EROSIVOS COSTEIROS NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB

Magno Erasto de Araújo, Larissa Fernandes de Lavor, Vinícius Ferreira de Lima

Resumo


De forma geral, as informações obtidas nas pesquisas acadêmicas, sobretudo aquelas que tratam das questões ambientais, são abordadas pela mídia de forma truncada e com certo apelo sensacionalista. Com os processos de erosão costeira na Cidade de João Pessoa não é diferente, o discurso em voga atribui como causa dos processos erosivos costeiros os aspectos de ordem global, relacionados ao efeito estufa e à consequente oscilação do nível do mar. Isso cria um entendimento distorcido da realidade, pois, na maioria dos casos os fatores relacionados à dinâmica local em consórcio com o processo de ocupação de algumas áreas da orla marinha respondem de forma mais rápida e eficiente às alterações na dinâmica natural local do que os possíveis reajustes na linha de costa relacionados ao aquecimento global. Nesse sentido, este artigo tem o objetivo de desmitificar o entendimento de que os processos erosivos costeiros atuais em João Pessoa constituem uma consequência imediata do aquecimento global. Para isso, procura-se delinear o que se entende por causas naturais e como as atividades da sociedade contribuem, em curto espaço temporal, no sentido de provocar alterações no delicado equilíbrio dinâmico natural. Como método de pesquisa, utilizou-se o raciocínio analógico-dedutivo. Na prática, as informações contidas neste texto não se constituem em descobertas ou fatos novos que subsidiem o entendimento integral das causas dos processos erosivos costeiros em João Pessoa. Constituem apenas um esforço no sentido de unir as informações existentes para se entender de forma mais realista esses processos, diferente do senso comum, que atribui como causa o aquecimento global.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Seminários Espaços Costeiros. ISSN 2447-732X