USOS E CONFLITOS NA RESERVA BIOLÓGICA DE SANTA ISABEL NO TRECHO DA ZONA COSTEIRA DO GRUPO DE BACIAS COSTEIRAS 01 - SERGIPE

Sinthia Araujo Barreto, Taís Kalil Rodrigues

Resumo


A Reserva Biológica de Santa Isabel (REBIO), situada nos município de Pirambu e Pacatuba no estado de Sergipe, foi criada com o intuito de preservar os ecossistemas costeiros compostos por vegetação de restinga, cordões de duna, lagoas temporárias e permanentes e ambientes estuarinos, além de abrigar o maior sítio reprodutivo de tartaruga marinha Lepidochelys olivácea em território brasileiro. Tendo em vista a importância da REBIO e pela mesma localizar-se integralmente na faixa costeira, esse trabalho objetiva apresentar os conflitos decorrentes dos diferentes usos da zona costeira nesta área. Essa unidade de conservação apresenta restrições de uso para algumas atividades e tem o objetivo de preservar integralmente os recursos naturais existentes em seus limites, sem interferência humana direta ou modificações ambientais. Porém, apesar da preservação integral da reserva, foram encontradas algumas atividades produtivas como a exploração de hidrocarbonetos, viveiros de peixe, carcinicultura, formação de pastagens para gado na restinga, criação de animais, plantação de coco, assim como depósito de lixo clandestino em torno da unidade e tráfego de veículos no trajeto realizado pelos filhotes para atingir o mar. Diante do pouco incentivo, envolvimento e preocupação da população com a conservação da reserva, os ambientes naturas mais próximos às comunidades são os mais afetados. Isso evidencia o distanciamento da comunidade em relação ao ambiente, a falta de incentivo pelos órgãos e a necessidade de políticas públicas capazes de promover a conservação do ecossistema local, minimizando os conflitos socioambientais locais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Seminários Espaços Costeiros. ISSN 2447-732X