A EXPRESSÃO DA PESCA ARTESANAL NA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ANÁLISE DAS INSTITUIÇÕES ONDE ESTÃO OS PESQUISADORES

Cristiano Quaresma de Paula

Resumo


Em todo o Brasil inúmeros geógrafos abordam em seus trabalhos de conclusão de curso, dissertações e teses as problemáticas da pesca artesanal. Esta análise objetiva apresentar a sumarização desses estudos, o que favorece estabelecer diálogos entre os trabalhos e constitui em uma estratégia para o fortalecimento de uma rede de cooperação acadêmica e social. Entre as justificativas enfatiza-se que a espacialização desses trabalhos permite pensar possibilidades para problemáticas da pesca artesanal brasileira como respostas da geografia. Para a análise dos trabalhos utilizou-se diversas técnicas de pesquisa como a análise do conteúdo dos 66 trabalhos disponíveis em arquivo digital e a análise das 82 respostas de questionários respondidos, por meio de plataforma digital, por geógrafos que abordam a pesca artesanal em seus estudos. Assim foram contemplados 104 trabalhos, os quais foram georreferenciados para a representação espacial dos resultados. A análise permitiu compreender que a maioria desses pesquisadores estão vinculados a instituições de ensino superior federais e estaduais, respectivamente. Estes pesquisadores estão em 18 unidades da federação, sendo que as regiões sudeste e nordeste concentram mais pesquisadores. Estes estão vinculados principalmente como professores, e a formação mais evocada é licenciatura em geografia. A análise também expõe a atuação desses geógrafos como professores universitários (31) que abordam a pesca artesanal em atividades de ensino, pesquis e extensão. Cabe destacar que foram mapeados os grupos e projetos de pesquisa, que abordam a pesca artesanal na geografia brasileira. Quanto as pesquisa analisadas, estas ocorrem em 39 instituições de ensino superior, sendo que a região sudeste concentra mais instituições. Destaca-se que os períodos de 2005-2010 e 2010-2015 expoem um enorme avanço em número e expansão dessas pesquisas pelo Brasil. A principal modalidade de pesquisa é de mestrado (66 dissertações), que ocorrem em todas as regiões brasileiras, principalmente nas regiões sul, sudeste e nordeste. A região nordeste é a que mais concentra pesquisas de doutorado. Os principais conceitos abordados são território, espaço e ambiente, respectivamente. Destaca-se que esses trabalhos fazem referências à ocorrências de impactos sobre a pesca. Do ponto de vista do método enfatiza-se a composição metodológica na maioria dos trabalhos, mas também a forte ultização do Materialismo Histórico e Dialético. O principal grupo analisado são as comunidades, mas também as colônias e associações de pescadores. A espacialização desses trabalhos permitiu pensar a pesca artesanal e a própria geografia brasileira. Esta se configura em uma analise panorâmica (de sobrevoo) que permitirá identificar, relacionar e perceber possibilidades e lacunas na produção acadêmica da geografia quanto às problemáticas da pesca artesanal. Soma-se a isso a identificação de tais geógrafos, para integrá-los em um trabalho em rede.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Seminários Espaços Costeiros. ISSN 2447-732X