v. 6, n. 3 (2017)


Capa da revista

Arte no Ofício

 

Na marcenaria, criatividade e ação, associadas ao uso das ferramentas certas, materializam a essência de um dos mais antigos ofícios da humanidade. Transformar madeira, a matéria-prima, em um móvel, conferindo-lhe a utilidade necessária para atender expectativas, não é tarefa fácil! Primeiramente, requer o domínio de um saber técnico, em alguns casos, alcançado tacitamente, além disso, exige conhecimentos prévios dos potenciais usuários (gostos, hábitos, aspirações) e requer também um pensar sobre os seus prováveis usos. Essa combinação logo resulta em arte, tecnologias, novas configurações estéticas, tudo isso convergindo para a satisfação. Na marcenaria, assim como nas ações com ênfase em Gestão Social, as mentes e mãos transformadoras devem alinhar com rigor, os aportes teórico-metodológicos subjacentes às ações, a sensibilidade do ponto de vista social, mediante a ativação de mecanismos qualificados de escuta e a construção proativa do futuro, considerando os instrumentais e técnicas disponíveis. Foi tudo isso que vi e senti, diante desta imagem que mais parecia uma instalação, durante uma visita que acompanhei ao Projeto Construindo Sonhos, responsável por formar agentes multiplicadores das melhores práticas da Construção Civil, no Baixo Sul da Bahia.

 

Fabrício Nascimento da Cruz

2017