v. 6, n. 2 (2017)


Capa da revista

Rocinha, uma das maiores favelas do mundo; ou um grande bairro popular, com cerca de 70 mil habitantes, proporciona algumas discussões sociais, uma delas: a segurança. Porém, a proposta da exposição sobre a Rocinha, do Projeto En-cantos, veio na tentativa de quebrar os preconceitos sociais, mostrando a ocupação e a vida humana na cidade, pelas questões físicas (arquitetônica), de organização política (eleição para associação de moradores), e demais estruturas, pois se acredita que as cidades sem habitantes não têm vida; é a sociedade que ocupa, cria, constrói e transforma. Também há o intuito de mostrar a beleza do local; pois enquanto alguns definem as margens da cidade, a Rocinha, no alto do morro, apropria-se de uma visão privilegiada, dizendo: “Eu também faço parte desta cidade, e também olho vocês”, havendo um “diálogo”.

 

Tiago Teixeira Oliveira


Fotógrafo e historiador, com especialização em Patrimônio Cultural

2016