O Boi e a Pedra, Duas Temporadas de Residência Artística na Casa Fanti Ashanti

Renata Amaral

Resumo


Por duas vezes, em 2009 e 2010, a autora recebeu o Prêmio Interações Estéticas da Funarte para residências artísticas na Casa Fanti Ashanti. Fundada em 1958 pelo babalorixá Euclides Talabyan, a Casa é hoje um dos centros afro-religiosos mais importantes em atividade no Maranhão, cujo intenso calendário de atividades inclui diversas tradições sagradas e profanas, tendo se tornado Ponto de Cultura em 2006. Na primeira temporada, o trabalho com as crianças e adolescentes da Casa resultou no CD Boi de Encantado. A segunda propôs uma viagem ao Benin com o Pai Euclides e algumas pessoas da Casa, na qual foram realizados registros de encontros e celebrações. Recebendo ainda outros apoios e premiações, este material, além de outros registros realizados durante a residência artística e mais o longo acervo pessoal da autora, foi finalizado em diversos produtos: um documentário, uma exposição de fotos e um livro de memórias que trazem um diálogo entre as tradições populares dos dois países. O artigo conta um pouco dessa experiência.

Palavras-chave


Arte; Religiosidade; Música; Educação; Tradições Populares.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/23172428rigs.v2i2.9877