Racionalidades na Dinâmica da Produção Pesqueira: A Percepção dos Pescadores Artesanais da Grande Florianópolis diante do Quadro de Degradação Socioambiental do Litoral Catarinense

Elaine Cristina de Oliveira Menezes, Luciana Ronconi

Resumo


O processo de urbanização desordenado do litoral catarinense e a degradação ambiental vêm trazendo inúmeros malefícios à vida sustentável dos pescadores e da própria pesca artesanal, principalmente na região da Grande Florianópolis. O presente artigo pretendeu avaliar o tipo de racionalidades presentes na dinâmica da produção pesqueira e a percepção dos pescadores artesanais quanto à sustentabilidade da sua atividade na região. A pesquisa valeu-se de uma abordagem qualitativa, por meio de entrevistas semiestruturadas com 25 atores-chave. Concluiu-se que a racionalidade predominante é a do cálculo utilitário, cujas consequências são a exploração abusiva dos recursos pesqueiros e a ausência de mecanismos de gestão compartilhada e negociada desses recursos. A racionalidade substantiva, embora presente nas dinâmicas produtivas da pesca artesanal, não tem tido impacto significativo sobre a gestão dos recursos pesqueiros locais. 


Palavras-chave


Racionalidade Instrumental; Racionalidade Substantiva; Racionalidade Ambiental

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/23172428rigs.v4i1.9298