O Teatro de Improviso como Proposta Pedagógica na Formação em Ciências Sociais Aplicadas

José Luis Felicio Carvalho, Marina Dias de Faria

Resumo


Em cursos de graduação em ciências sociais aplicadas, defende-se que os estudantes possam desenvolver, além de aptidões intelectuais e conhecimentos técnicos, competências caracterizadas como relacionais, comportamentais, sociais ou de cooperação. Para tal, costuma-se recorrer a alternativas pedagógicas como jogos teatrais, especialmente técnicas de improvisação, das quais uma das mais efetivas – porém, das menos exploradas em contextos educacionais – é o teatro de improviso de Keith Johnstone. O objetivo desta pesquisa teórica é apresentar o teatro de improviso como proposta pedagógica interdisciplinar para o desenvolvimento de competências relacionais por estudantes de ciências sociais aplicadas. Acredita-se, assim, poder estimular o desenvolvimento de competências tais como: capacidade de trabalhar em equipe; criatividade; prontidão para lidar com incertezas e ambiguidades; capacidade de relacionamento; iniciativa de ação; autocontrole emocional; e capacidade de lidar com situações novas e inusitadas.

Palavras-chave


Competência Profissional; Gestão por Competências; Teatro-Educação; Pedagogia Interdisciplinar; Improvisação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/23172428rigs.v3i3.8871