Uma Trajetória de Socialização Acadêmica com Alexandre Carrieri: Relato a Partir de uma Conversação Interna

Thiago Duarte Pimentel

Resumo


Este texto, concebido na forma de um relato pessoal, em primeira pessoa, relata a trajetória acadêmica pessoal do autor focalizando o período de sua formação inicial, bacharelado e mestrado, tomando como pano de fundo a sua socialização acadêmica, mais particularmente por meio de sua participação junto ao grupo de pesquisa NEOS – Núcleo de Estudos Organizacionais e Sociedade, sob a orientação recebida de Alexandre Carrieri, entre 2003 e 2008, na Universidade Federal de Minas Gerais. Apesar de ser concebido de forma mais “livre” (ou assistemática), a trajetória narrada se fundamenta sociologicamente no conceito de “conversação interna”, proposto por Margaret Archer (2000), dentro de uma perspectiva realista crítica. A despeito de não visar sua aplicação de forma rigorosamente sistemática,  o exercício proposto tem a intenção de funcionar, apenas heuristicamente, como um fio condutor que permite situar a agência humana (subjetivamente orientada) como produto de projetos pessoais elaborados e realizados em face dos contextos (objetivamente estruturados), com as restrições, constrangimentos e habilitações, que se impõem seletiva e diferencialmente segundo os diferentes cursos de ação possíveis. No caso em tela, visa-se analisar a agência (e as práticas) realizadas, a partir dos projetos pessoais perseguidos em determinadas situações concretas. Este recurso narrativo autobiográfico tem uma finalidade maior, foi apenas um meio encontrado para – como uma boa conversação interna – permitir autoavaliar a participação e presença de um personagem significativamente importante em minha trajetória: Alexandre Carrieri. Ainda que as histórias, os projetos pessoais e os contextos possam ser distintos, acredita-se que, de certo modo, esta narrativa evidencia de forma minimamente objetiva características distintivas do mestre e, ao mesmo tempo, um pouco do contexto institucional (NEOS e UFMG), na fase inicial do processo de institucionalização de um quadro formador de recursos humanos, fruto do seu próprio projeto pessoal. Portanto, este texto tem o fim, ainda que por meios modestos, de render um tributo a Alexandre Carrieri e ao que o seu próprio projeto pessoal do permitiu criar, impactando assim na agência de vários atores e gerações que cruzaram(ão) este contexto.


Palavras-chave


Realismo Crítico; Conversação Interna; Reflexividade; Alexandre Carrieri

Texto completo:

PDF

Referências


ARCHER, M. S. Explicação e compreensão podem ser ligadas em uma história única? In: VANDENBERGHE, F.; VÉRAN, J.-F. (Org.) Além do habitus: teoria social pós-bourdieusiana. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016. p. 73-94.

ARCHER, M. S. The trajectory of the morphogenetic approach: an account in the first person. Sociologia, Problemas e Práticas, Lisboa, n. 54, p. 35-47, 2007.

ARCHER, M. S. Being human: the problem of agency. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

BERGER, P. L. Adventures of an accidental sociologist: how to explain the world without becoming a bore. Amherst: Prometheus Books, 2011.

CARRIERI, A. P. A transformação das identidades em uma empresa de telecomunicações antes e depois de sua privatização: um estudo de metáforas. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 9, n. 23, p. 13-35, jan./abr. 2002.

CARRIERI, A. P. O fim do “Mundo Telemig”: a transformação das significações culturais em uma empresa de telecomunicações. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

CARRIERI, A. P.; PIMENTEL, T. D. Significações culturais: um estudo de caso da UFMG Consultoria Júnior. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 6, n. 3, p. 137-166, set./dez. 2006.

CERTEAU, M. A Invenção do Cotidiano. 2 vol. Vozes, 1974.

DAMATTA, R. O ofício de etnólogo, ou como ter “Anthropological Blues”. In: NUNES, E. O. (Org.). A aventura sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. p. 23-35.

ELIAS, N. Mozart: sociologia de um gênio. Rio de janeiro: Zahar, 1993.

MERTON, R. K. Estrutura Burocrática e Personalidade. In: MERTON, R. K. Sociologia: Teoria e Estrutura. São Paulo: Editora Mestre JOU, 1970. (Cap.VIII, pp.271-284).

PIMENTEL, T. D. Realismo crítico nos estudos organizacionais: notas introdutórias sobre seus fundamentos filosóficos. Farol – Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 710-763, dez. 2014.

PIMENTEL, T. D.; CARRIERI, A. P. A espacialidade na construção da identidade. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 1-21, mar. 2011.

PIMENTEL, T. D.; CARRIERI, A. P.; LEITE-DA-SILVA, A. R.; ABATE JÚNIOR, C. B. De woodstock mineira a camelódromo: percurso semântico da transformação de identidade em uma feira. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, XXIX, Brasília, 2005. Anais... Brasília: ANPAD, 2005.

PIMENTEL, T. D.; SOARES, A. S.; LIMA, G. C. O.; MENDONÇA, M. C. N.; LEITE-DA-SILVA, A. R. A (des)construção institucional do Mercado Central de Belo Horizonte. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, XXX, Rio de Janeiro, 2006. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2006.

SÁ, M. G. Podemos ouvir Anthropological Blues na pesquisa em administração? In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, XXX, Rio de Janeiro, 2006. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2006.

SÁ, M. G.; MELLO, S. C. B. Reflexividade e articulação empreendedora na sociedade contemporânea: podemos fazer diferente? Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 46, n. 1, p. 249-270, jan./fev. 2012.

SANTOS, M. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978.

VANDENBERGHE, F. A sociologia na escala individual: Margaret Archer e Bernard Lahire. In: VANDENBERGHE, F; VÉRAN, J.-F. (Org.) Além dos habitus: teoria social pós-bourdieusiana. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016a. p. 95-126.

VANDENBERGHE, F. Os pós-bourdieusianos: retrato de uma família disfuncional. In: VANDENBERGHE, F.; VÉRAN, J.-F. (Org.) Além dos habitus: teoria social pós-bourdieusiana. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016b. p. 27-38.

VANDENBERGHE, F. Une ontologie realiste pour la sociologie: système, morphogenèse et collectifs. Social Science Information, London, v. 46, n. 3, p. 487-542, Sep. 2007.