Entre a Formalidade e a Efetividade: A Dinâmica da Participação Social no Ciclo Político de um Conselho Gestor de Turismo em Juiz de Fora/MG

Thiago Duarte Pimentel, Fabíola Cristina Costa de Carvalho, Marcela Costa Bifano de Oliveira, Eliza Feres de Lima Moura

Resumo


O artigo identifica e analisa dois momentos do ciclo político, o processo de percepção de um problema e a geração de propostas a serem implementadas feitas pelos membros do Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) de uma cidade em Minas Gerais/Brasil ao longo do período de cinco anos (2011-2015), a partir da análise da participação dos atores deste espaço social. As lentes teóricas de gestão pública e de gestão pública do turismo, com enfoque nos mecanismos e processos de participação social, permitiram verificar empiricamente (1) a frequência dos membros do Conselho, (2) participação qualificada, (3) bem como os principais resultados das propostas convertidos em ações concretas. Metodologicamente, este estudo recorreu a análise documental de atas das reuniões, documentos oficiais, da instituição e de outras entidades públicas, bem como não oficiais, tais como notícias de imprensa, relatos e entrevistas. Tais dados foram ordenados, classificados e analisados por meio da análise de conteúdo, com vistas a quantificar as frequências e categorias encontradas. Como resultados, evidenciou-se que há, majoritariamente, abstenção ou baixo grau de assistência às reuniões (participação nominal), sendo ainda mais restrita, a cerca de 3 atores centrais, a participação qualificada, por meio da qual se geram propostas, das quais apenas uma fração se converterem em resultados. Em síntese, os atores “mais participativos” são também os mais efetivos em termos de resultados, que de algum modo representam seus pontos de vista e interesses.  Conclui-se, portanto, que há uma fragilidade institucional e crise de legitimidade deste mecanismo (conselho), dada à expressão minoritária daqueles que participam, seja nominal ou qualificadamente, crise que está aliada ao risco da cooptação oportunista por aquelas entidades que conseguem impor demandas de forma mais articulada e incisiva, diante da ausência de obstáculos e contrapesos por parte de outros membros.


Palavras-chave


mecanismos de participación social; agenda pública; participación calificada; turismo; Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, R. (2001). Conselhos além dos limites. Estudos avançados, v.15, n.43, pp. 121-140, 2001.

AKTOUF, O. Méthodologie des sciences sociales et approche qualitative des organisations. Montréal: Les Presses de l’Université du Québec, 1987. 213 p.

DAVID, A. Logique, épistémologie et méthodologie en sciences de gestion. VIIIe Conférence Internationale de Management Stratégique – Aims. Montréal, CA. Actes de l’AIMS1999, 1999. p. 1-23.Frey, K. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no brasil. Planejamento e políticas públicas, v. 21, p. 211-259, 2000.

GONH, M. G. Movimentos sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 47, 2011, pp. 333-363.

HECLO, H. Issue Networks and the Executive Establishment. In: King A. (Hrsg.). The New American Political System. Washington D.C., 1978.

Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O Conselho Nacional de Turismo na Visão de seus Conselheiros. Relatório de Pesquisa: Projeto Conselhos Nacionais: perfil e atuação dos conselheiros. Governo Federal: Brasília, 2012.

KLIKSBERG, B. Seis tesis no convencionales sobre participación. Instituiciones y Desarrollo, Diciembre 1998.

Lowi, T. American Business, public policy, case studies and political theory. World Politics, v.16, pp.677-715, 1964.

NÓBREGA, W. R. M.; FIGUEIREDO, S. J. L. Turismo e Gestão Pública: uma Avaliação das Instâncias de Governança no Oeste do Estado do Pará. In: PIMENTEL; T. D.; EMMENDOERFER; M. L.; TOMAZZONI; E. L. (Orgs.). (Org.). Gestão Pública do Turismo no Brasil? Teorias, Metodologias e Aplicações. 1ed. Caxias do Sul - RS: EDUCS, v.1, pp. 360-396, 2014.

OLIVEIRA, V. C. da S. (2009). Sociedade, Estado e administração pública: análise da configuração institucional dos conselhos gestores do município de Lavras – MG. Tese (Doutorado em Administração). Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil.

PAES DE PAULA, A. Por uma nova gestão pública. São Paulo: Editora FGV, 2008.

PJF - PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA. Lei nº 12.178, de 16 de dezembro de 2010. Diário Oficial Eletrônico. Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, Juiz de Fora (2010). Disponible en: . Acceso en: 01 abril de 2016.

TENÓRIO, F. G. (Re)Visitando o Conceito de Gestão Social. In: SILVA JR., J.T.; MÂSIH, R.T.; CANÇADO, A.C.; SCHOMMER, P.C. Gestão Social: práticas em debate, teorias em construção. 1ª Ed. Vol. 1. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2008, 248p. Cap. 2, p.39-60.

THEODOULOU, S. Z. The Contemporary Language of Public Policy: A Starting Point. In: THEODOULOU S. Z.; CAHN, M. A. (Orgs.). Public Policy: The Essential Readings. New Jersey: Prentice Hall, 1995.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educ. Pesqui. São Paulo, v.31, n.3, set/dez. 2005.