Potencialidades e Desafios do Processo de Planejamento Integrado: A Experiência de uma Secretaria Municipal de Saúde do Nordeste Brasileiro

Dartagnan Ferreira de Macêdo, João Antônio da Rocha Ataide, Andreza Galindo Alves de Queiróz, Diego da Guia Santos, Antonio Carlos Silva Costa

Resumo


Este artigo analisou o processo de planejamento em saúde, a partir da experiência de planejamento integrado realizada pela Secretaria de Saúde de Maceió (SMS), sublinhando aspectos positivos e dificuldades enfrentadas. Para tanto, realizou-se uma pesquisa qualitativa, por meio de estudo de caso em oito unidades de saúde (US) e em setores da SMS, por meio de entrevistas semiestruturadas e observação direta. Identificaram-se ações pontuais no que se refere ao processo de planejamento, mediante reuniões de equipe. Todavia, mesmo após a implantação da integração, o processo de planejamento não se mostrou sistematizado, percebeu-se pouca participação efetiva dos gestores das unidades e uma atuação fragmentada dos setores da secretaria. Conclui-se que a experiência de planejamento integrado e participativo demonstrou resultados preliminares positivos e um grande potencial de melhoria da gestão em saúde municipal, ainda que existam diversos desafios, como o despreparo da gestão e a resistência de parte dos servidores em participar do processo. 


Palavras-chave


Planejamento em Saúde. Planejamento Integrado. Potencialidades e Desafios. Gestão em Saúde Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, A. C. V. et al. Planejamento das ações educativas pela equipe multiprofissional da Estratégia Saúde da Família. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 439-49, 2013.

ARTMANN, E. O planejamento estratégico situacional no nível local: um instrumento a favor da visão multissetorial. Cadernos da Oficina Social, v. 3, p. 98-119, 2000.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema de planejamento do SUS (PlanejaSUS): uma construção coletiva - trajetória e orientações de operacionalização. Ministério da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde (MS/OPAS). Brasília: Ministério da Saúde, 2009. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/planejaSUS_livro_1a6.pdf

FIGUEIREDO, P. P. de et al. Processo de trabalho da Estratégia Saúde da Família: a concepção de gestão que permeia o agir em saúde. Physis, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 235-259, 2010.

MACHADO, C. V.; BAPTISTA, T. W. F.; LIMA, L. D. O planejamento nacional da política de saúde no Brasil: estratégias e instrumentos nos anos 2000. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, n. 5, p. 2367-2382, 2010.

MATUS, C. Política, planificação e governo. 2. ed. Brasília: IPEA, 1993. p. 297-554.

PAIM, J. S.; TEIXEIRA, C. F. Política, planejamento e gestão em saúde: balanço do estado da arte. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. Esp, 2006.

RIVERA, F. J. U.; ARTMANN, E. Planejamento e gestão em saúde: histórico e tendências com base numa visão comunicativa. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, n. 5, p. 2265-2274, 2010.

SARTI, T. D. et al. Avaliação das ações de planejamento em saúde empreendidas por equipes de saúde da família. Cadernos de Saúde Pública, v. 28, n. 3, p. 537-548, 2012.

SERAPIONI, M.; DA SILVA, M. G. C. Avaliação da qualidade do Programa Saúde da Família em municípios do Ceará. Uma abordagem multidimensional. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 11, p. 4315-4326, 2011.

SULTI, A. D. C. et al. O discurso dos gestores da Estratégia Saúde da Família sobre a tomada de decisão na gestão em saúde: desafio para o Sistema Único de Saúde. Saúde em debate, v. 39, n. 104, p. 172-182, 2015.

TEIXEIRA, C. F. Enfoques teóricos-metodológicos do planejamento em saúde. In: TEIXEIRA C. F. (Org.). Planejamento em Saúde: Conceitos, Métodos e Experiências. Salvador: EDUFBA, 2010.

VIEIRA, F. S. Avanços e desafios do planejamento no Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, n. Supl 1, p. 1565-1577, 2009.