Práticas Organizativas de uma Quadrilha Junina Competitiva

Karine Rodrigues Rufino, Elnivan Moreira de Souza, Luma Louise Sousa Lopes, José Jorge da Silva Júnior, Rafaella Medeiros Alves Alvarenga

Resumo


O objetivo da pesquisa foi compreender como ocorrem as práticas organizativas de uma quadrilha junina à luz da ideia de comunidade de prática. Neste sentido, foi realizada uma pesquisa bibliográfica sobre os conceitos de Práticas Organizativas, Comunidades de Prática e Festas/Quadrilhas Juninas com a finalidade de estender os conhecimentos dos temas abordados. O objeto de pesquisa foi uma quadrilha junina de Fortaleza, Ceará, Brasil, denominada Tradição da Roça, constituída em 2000, composta por 90 membros. Metodologicamente, esta pesquisa enquadra-se como qualitativa descritiva de inspiração etnográfica. Para a coleta dos dados, utilizamos diário de campo, análise de documentos (impressos e digitais) e entrevista aberta com três membros da diretoria. Para analisar os dados, aplicamos análise de conteúdo. Foi possível perceber que, no contexto das quadrilhas juninas, há práticas organizativas como divisão de tarefas, liderança, planejamento, compartilhamento de conhecimentos, mudanças, inovação, conflitos e formação de cultura, o que as colocam como um escopo de organização.


Palavras-chave


Práticas Organizativas. Comunidades de Práticas. Quadrilhas Juninas.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONELLO, C. S.; RUAS, R. Formação Gerencial: Pós-graduação Lato Sensu e o Papel das Comunidades de Prática. Revista de Administração Contemporânea, v.9, n.2, p. 35-38, 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Editora Edições 70, 1977.

CARVALHO, C. A.; DOURADO, D. P. As transformações no campo da cultura na postura multi metodológica do observatório da realidade organizacional. Gestão.Org - Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v.10, n.03, p. 00-00, 2012.

CHIANCA, L. “O auxílio luxuoso da sanfona”: tradição, espetáculo e Mídia nos concursos de quadrilhas juninas. Revista Observatório Itaú Cultural OIC. – N. 14 (mai. 2013). – São Paulo: Itaú Cultural, p. 89-100, 2013.

COSTA, C. A. da. Festa junina: síntese de uma mistura cultural. 2012. 36 p. Monografia (Licenciatura em Artes Visuais). Universidade de Brasília, Sena Madureira, 2012.

FARIAS FILHO, M. C.; ARRUDA FILHO, E. J. M. Planejamento da pesquisa científica. São Paulo: Atlas, 2013.

FERREIRA, S. A.; MEDEIROS, A. L. de. Será uma Comunidade de Prática? Um Estudo de Caso sobre o Processo de Aprendizagem da Diretoria de Tecnologia da Informação de uma Universidade Federal da região norte do Brasil. Revista de Administração Pública e Gestão Social, v.3, n.3, p.279-299, 2011.

GOMES, M. M. Um olhar sobre as festa juninas e seus novos cenários: O caso do São João de Maracanaú – Região Metropolitana de Fortaleza (RMF, Ceará). Goe Textos, v.7, n.2, p. 99-120, 2011.

GROPP, B. M. C.; TAVARES, M. G. P.; Dimensões intangíveis: A relevância do conhecimento tácito em processos de inovação e sustentabilidade. In: Seminário Transformare Centro Universitário da FEI/Centro Franco Brasileiro de Estudos Avançados; 2011.

IPIRANGA, A. S. R.; FARIA, M. V. C. M.; AMORIM, M. A. A Comunidade de prática da Rede NÓS: colaborando e compartilhando conhecimento em arranjos produtivos locais. Revista Organizações e Sociedade, v.15, n.44, p. 149-170, 2008.

LAVE, J.; WENGER, E. Communities of practice. Retrieved June (1998).

MEDEIROS, I. B. O.; ANTONELLO, C. S. A Metáfora da Dança nas Organizações: uma Auto-Etnografia sobre Aprendizagem na Prática. In: V ENCONTRO DE

ESTUDOS ORGANIZACIONAIS DA ANPAD, 2008, Belo Horizonte.

OLIVEIRA, J. S. de. A política emocional nas práticas de organização do circo contemporâneo: uma etnografia multissituada no contexto Brasil-Canadá. Tese (Doutorado em Administração). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

OLIVEIRA, J. S. de; CAVEDON, N. R. As Tramas Políticas Emocionais na Gênese de Processos Organizativos em uma Organização Circense. Revista Organizações & Sociedade, v.22, n.72, p. 61-78, 2015.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, M. P. B. Metodologia de pesquisa. 5. ed. São Paulo, 2013.

SANTOS, L. G. A. dos. Rede intraorganizacional e práticas organizacionais. 2007. 176 p. Dissertação (Mestrado em Administração). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

SANTOS, L. M. S.; SILVEIRA, R. A. Por uma Epistemologia das Práticas Organizacionais: A contribuição de Theodore Schatzki. Revista Organizações e Sociedade. v.22, n.72, 79-98, 2015.

SCHATZKI, T. R. On Organizations as they Happen. Organizations Studies. v.27, n.12, p.1863-1873, 2006.

STRATI, Antonio. Knowing in practice: aesthetic understanding and tacit knowledge. In: NICOLINI, Davide; GHERARDI, Silvia; YANOW, Dvora (eds.). Knowing in organizations: a practice-based approach. New York: M.E. Sharpe, cap.3, p.53-75, 2003

STRATI, A. Organização e estética. Tradução Pedro Maia Soares. Rio de Janeiro: Editora FGV,2007.

STRATI, Antonio. Sensible knowledge and practice-based learning, Management Learning, v.38, n.2, p.61-77, 2007.