Vida Errante?

Rodilon Teixeira, Neusa Rolita Cavedon

Resumo


Através do imagético, buscamos revelar aspectos da cultura organizacional de um albergue noturno, localizado na cidade de Porto Alegre, o qual tem nos pressupostos da doutrina Espírita de Alan Kardec a sua base de atuação. Todavia, a noção societária que qualifica a população em situação de rua como “desviantes” não está ausente nos procedimentos adotados com vistas à reinserção dessas pessoas dentro daquilo que é considerado como “adequado” aos padrões organizacionais/societários vigentes. Aqueles que procuram o local para pernoite devem observância a determinadas normas, dentre elas destacamos: a guarda dos pertences em um nicho de armário cujo número da chave serve de referência para as demais identificações (a exemplo da cama onde irá dormir). A pessoa, destituída de parte de sua identidade por não ter um local fixo de moradia, vêse premida de estreitar laços com a instituição que a acolhe em razão de ser o sujeito, na maior parte do tempo, transformado em apenas um número.

Palavras-chave


Situação de Rua; Desviante; Normalização Social

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/23172428rigs.v4i1.11700