Violência contra LGBTs no Brasil: fundamentos históricos dos corpos abjetos

Valdenízia Bento Peixoto

Resumo


A formação sócio-histórica da sociedade brasileira foi erigida por um conjunto de valores morais acerca dos corpos, dos gêneros, das sexualidades e dos comportamentos de indivíduos que foram determinados ao padrão unívoco do que é ser homem e ser mulher. Assim, historicamente, pessoas não heterossexuais foram fortemente invisibilizadas, mortas e consideradas anormais. Atualmente, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTs) ainda são precarizados/as em suas vidas por não corresponderem aos padrões hegemônicos estabelecidos. Este artigo identifica a violência contra LGBTs como histórica e sistêmica, baseado em fatores da hierarquização das identidades de gênero e das orientações sexuais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/peri.v1i10.28014

Rev. Peri. Salvador, BA, Brasil. e-ISSN: 2358-0844

  

 

 

Este periódico está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional