A agenda política contra a chamada “ideologia de gênero” e a cidadania de pessoas LGBTI no Brasil.

Lua Da Mota Stabile

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo investigar como o combate político à chamada "ideologia de gênero" no Brasil, liderada por líderes políticos religiosos e conservadores, está impedindo a aprovação e discussão de direitos LGBTI e inclusão das questões de identidade de gênero e orientação sexual em qualquer projeto legislativo e governamental. Uma vez que o debate sobre gênero e sexualidade tem sido censurado em no Congresso Nacional, Câmaras Estaduais e Municipais, instituições educacionais e, inclusive museus, com o argumento de que essas discussões fazem parte da "ideologia de gênero", a deliberação de políticas públicas para as pessoas LGBTI e o exercício da cidadania por essa população específica está sob ameaça no Brasil. Para atingir meus objetivos, analisarei os discursos e as origens do que os políticos conservadores estão chamando de “ideologia de gênero”, para entender por que esses discursos estão relacionados aos direitos humanos LGBTI e como eles também possuem um ataque específico à população de pessoas Trans e Travestis. Destaco também como estas estratégias político-religiosas e políticas estão ligadas ao processo histórico de colonização que o Brasil sofreu durante séculos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/peri.v1i10.27587

Rev. Peri. Salvador, BA, Brasil. e-ISSN: 2358-0844

  

 

 

Este periódico está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional