“Futebol é coisa para mano, mana e mona” ? A LiGay Nacional de Futebol Society do Brasil

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo


O objetivo é examinar a relevância sociocultural da LiGay Nacional de Futebol Society do Brasil e os desafios enfrentados por tal liga na realização de seu campeonato brasileiro em 2017 e na disseminação de uma proposta inclusiva de toda a população LGBT no esporte. O argumento central indica que a LiGay contribuiu para a desestabilização de concepções rigidamente construídas em torno do futebol como um espaço quase exclusivo de atuação de homens heterossexuais e motivou laços de solidariedade entre pessoas que compartilham experiências de opressão. Entretanto, a organização de seu primeiro campeonato nacional enfrentou dificuldades na atração de patrocinadores, e a maior parte dos atletas reconhece a superioridade da masculinidade hegemônica ligada a um estereótipo ideal de atleta de corpo másculo e viril e dotado de um “ethos” guerreiro, o que dificulta o estímulo ao interesse e a incorporação dos LGBTs que não se enquadram em tal perfil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/peri.v1i10.26521

Rev. Peri. Salvador, BA, Brasil. e-ISSN: 2358-0844

  

 

 

Este periódico está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional