Consumo de pornografia midiática e masculinidade

Melissa Toledo Borges, Rafael De Tilio

Resumo


A concepção foucaultiana de corpo afirma ser este uma superfície de inscrição de acontecimentos, interpenetrado pela história a partir da qual a produção de discursos e saberes materializa seus significados. Neste contexto, as tecnologias midiáticas devem ser compreendidas como produtoras e reprodutoras de discursos de gênero que participam da constituição da subjetividade dos sujeitos; e uma dessas mídias é a pornografia. Levando em conta os debates já existentes sobre a proibição ou não da produção/distribuição e consumo de pornografia pelos movimentos feministas, este trabalho tem como objetivo compreender de que maneira o consumo de pornografia midiática incide sobre o imaginário do homem heterossexual e, consequentemente, sobre as relações que estabelece com as mulheres.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/peri.v1i10.25851

Rev. Peri. Salvador, BA, Brasil. e-ISSN: 2358-0844

  

 

 

Este periódico está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional