Desconstruindo e subvertendo o binarismo sexual: apostas feministas e queer

Mariana Ferreira Pombo

Resumo


Este artigo pretende problematizar a noção de binarismo sexual na contemporaneidade, noção que parece insuficiente para o entendimento de novas subjetividades, sexualidades e arranjos familiares. Seguindo a premissa foucaultiana sobre a historicidade da subjetividade e dos discursos, será proposto um percurso com quatro autoras, feministas e queer, que desconstroem o sistema sexual binário e apresentam estratégias para subvertê-lo: Judith Butler, Monique Wittig, Gayle Rubin e Beatriz Preciado.


Texto completo:

PDF