Organizações que matam: uma reflexão a respeito de crimes corporativos

Cintia Rodrigues de O Medeiros, Rafael Alcadipani da Silveira

Resumo


O objetivo deste artigo é incorporar a perspectiva pós-colonial para compreender a dinâmica dos crimes corporativos. Para tanto, analisamos um crime corporativo cometido por uma corporação transnacional no Brasil cujas consequências foram, dentre outras,  a morte de trabalhadores e moradores. Adotamos a abordagem qualitativa para conduzir a pesquisa e realizamos uma pesquisa documental para reunir documentos oficiais sobre os casos analisados e arquivos jornalísticos, o que permitiu a identificação de pessoas para a realização de entrevistas narrativas. Quanto à análise, fazemos uma aproximação da abordagem da grounded theory construtivista,  analisando o material empírico a partir da categoria integradora: “Produzindo a morte nas corporações”, a qual foi suportada por três códigos caracterizadores: (a) as manobras da corporação; (b) as armas utilizadas; (c) o poder,  o consentimento e a resistência. Como principais resultados, desenvolvemos os conceitos de necrocorporação e crimes corporativos contra a vida, apontando para a necessidade de mudança no modo de pensar quanto às relações entre governos, sociedade e corporações.


Palavras-chave


crime corporativo, poder, corporações

Texto completo:

PDF


ISSN (Online) 1984-9230 - (Impresso) 1413-585X - Qualis CAPES A2

Instagram: revistaoes  |  Facebook: oesrevista  |   Twiter: revistaoes