Representações Sociais do Papel de Gestores de Organizações Não-Governamentais

Washignton José de Souza, Lia Sales Serafim, Thiago Ferreira Dias

Resumo


O artigo descreve dimensões da gestão social a partir de noções que gestores de organizações não-governamentais elaboram acerca do papel que exercem. Foi utilizada abordagem qualitativa a partir da análise de conteúdo categorial e referencial teórico fundado na Teoria da Representação Social, na tentativa de revelar processos intra-individuais, inter-individuais e situacionais, sob a forma de sistemas de crenças, valores, símbolos e histórias que dão sentido à existência das organizações estudadas, de acordo com interpretações dos gestores. A análise dos resultados evidencia uma diversidade de papéis assumidos pelos gestores pesquisados, pois há leituras e estratégias adotadas na condução das organizações que aparecem mediadas pelo estilo do líder. A formação profissional e aspectos relacionados à inserção social do gestor são determinantes no delineamento das representações sociais. Como conclusão, é pertinente afirmar que os papéis assumidos pelos gestores aparecem ancorados em leituras particulares da missão e dos objetivos organizacionais, imprimindo à Gestão Social caráter dinâmico contingencial.

Palavras-chave


Organizações não-governamentais. Gestão social. Representação social. Processos intra-individuais. Processos inter-individuais. Processos situacionais.

Texto completo:

PDF


ISSN (Online) 1984-9230 - (Impresso) 1413-585X - Qualis CAPES A2