Ensino de Administração: por uma Pedagogia para Mudança

Omar Aktouf

Resumo


Os conteúdos de ensino de administração implicam, penso eu, na problemática dos fins da administração, de sua dimensão ideológica e, mesmo, de sua definição. Penso que, antes de nos debruçarmos sobre a questão do conteúdo, devamos em primeiro lugar nos perguntar se a formação de administradores deve atender à mudança das coisas ou à sua reprodução. É mais frequente que ela se centre na lógica da reprodução, já que as escolas de gestão são ambientes conservadores e elitistas que formam administradores e teóricos que tenderão a reproduzir os mesmos modelos, os mesmos modos de pensar. Desde o primeiro ano, já no discurso de boas vindas, os estudantes são tratados como a elite, como os futuros líderes da sociedade. A falta de humildade parece-me perfeitamente fora de lugar e contradiz o ensino, nessas escolas, que afirma, e com razão, que de fato não se pode formar líderes. Aliás, muitos dirigentes considerados líderes o são, na verdade, por hereditariedade de pai para filho. Essa lógica de reprodução exprime-se também pela origem social dos estudantes. Mais de 90% dos estudantes das escolas de administração são filhos de famílias abastadas e mais de 50%, filhos de homens de negócios, dirigentes ou altos funcionários de empresas. O elitismo em uma democracia não tem sentido, pois não há respeito à igualdade de oportunidades; tornase, dessa forma, a tirania de uma minoria sobre a maioria.

Texto completo:

PDF


ISSN (Online) 1984-9230 - (Impresso) 1413-585X - Qualis CAPES A2