TRAJETÓRIAS, TRANSIÇÕES E ÂNCORAS DE CARREIRAS: UM ESTUDO COMPARATIVO E LONGITUDINAL COM PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS

Zélia Miranda Kilimnik, Suzana Braga Rodrigues

Resumo


No contexto das profundas transformações que ocorrem nas organizações contem porâneas, observa-se uma tendência no sentido de as mudanças nas trajetórias de carreiras tornaram-se cada vez mais freqüentes. O objetivo do presente estu do consistiu compreender como ocorrem as transições de carreiras profissionais de Recursos Humanos, resultantes da perda do seu emprego, assim como as trajetórias que se delinearam após a demissão e as âncoras de carreiras que as nortearam. Os resultados indicaram que, de modo geral, o próprio fato de passar por uma transição de carreira contribuiu para uma mudança na postura de profissionais que, estando acomodados em seus empregos, passaram a se empenhar mais, o que Ihes trouxe benefícios em termos de crescimento profissional, ampliação de conhecimentos e habilidades, além de maior satisfação com o trabalho, independentemente de ele se realizar na condição de assalariado ou autônomo. Esse estudo mostrou, também, que a partir das escolhas e da trajetória de carreira de um determinado profissional, pode-se inferir quais são as suas principais âncoras. Assim, com base nesses indicadores, identificaram-se as âncoras denominadas autono¬mia e estilo de vida como as mais comuns entre os profissionais estudados. A âncora refe¬rente à competência técnica e profissional também aparece, mas em menor grau, por ela estar associada à reciclagem e à atualização, o que realmente não se revelou ser uma preocupação central desses profissionais. O estudo conclui que cabe à sociedade e aos profissionais prestarem mais atenção a essas mudanças e, também, melhor se prepararem para o chamado fenômeno das transições de carreira, que tende a ampliar-se cada vez mais.

Texto completo:

PDF


ISSN (Online) 1984-9230 - (Impresso) 1413-585X - Qualis CAPES A2