O RISCO DA PATRIMONIALIZAÇÃO: A (NÃO) AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DOS DOCUMENTOS AUDIOVISUAIS, ICONOGRÁFICOS E SONOROS

Thiago de Oliveira Vieira

Resumo


A avaliação arquivística, atividade da gestão de documentos, tem como objetivo, determinar o valor dos documentos, com vistas a sua destinação final (guarda permanente ou eliminação). A avaliação é fundamental para racionalizar o ciclo documental, reduzindo ao máximo o volume de documentos, destinando aos arquivos permanentes somente os documentos com valor secundário. É a avaliação arquivística que determina quais documentos constituirão o patrimônio arquivístico ou o patrimônio cultural brasileiro. Os documentos audiovisuais, iconográficos e sonoros, enquanto documentos de arquivo, devem fazer parte deste processo. A ausência da atividade de avaliação e seleção nestes documentos, acarreta a patrimonialização dos mesmos, ou seja, nada é eliminado, tornam-se patrimônio arquivístico (processo não validado pela arquivologia). Neste artigo, busca-se demonstrar o risco da patrimonialização dos documentos audiovisuais, iconográficos e sonoros e ratificar a importância de sua avaliação e seleção.

Palavras-chave


Avaliação. Patrimônio. Documentos audiovisuais. Documentos iconográficos. Documentos sonoros.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1981-6766rpa.v7i3.7965

PontodeAcesso. ISSN: 1981-6766