COMPETÊNCIAS INFOCOMUNICACIONAIS E O ARQUIVISTA: MEDIAÇÃO PARA A APROPRIAÇÃO DA INFORMAÇÃO

Gleise da Silva Brandão

Resumo


A atividade de mediação da informação, bastante presente nos estudos e práticas bibliotecárias, ainda é pouco abordada no âmbito arquivístico brasileiro. Considerando uma sociedade cada vez mais alicerçada pelo uso da informação, parece imprescindível que o arquivista venha a atuar também na formação de usuários de informação. Nessa perspectiva, compreende-se a mediação como um processo colaborativo capaz de promover a apropriação da informação e, por conseguinte, um salto qualitativo nos usuários. Defende-se que o desenvolvimento de competências infocomunicacionais associado à mediação da informação pode propiciar esse salto qualitativo tanto no usuário ao tornar-se independente na satisfação de suas necessidades informacionais quanto no profissional que potencializa seu papel de mediador. Assim, a proposta deste trabalho é analisar as competências infocomunicacionais desenvolvidas pelos arquivistas e a contribuição dessas competências no processo de mediação e formação de usuários de informação. Especificamente, objetiva identificar as potencialidades do arquivista para atuar como mediador no processo de formação de usuários de informação, aprimorar os indicadores de verificação das competências infocomunicacionais, aferi-las a partir do comportamento dos arquivistas e verificar a contribuição do emprego de tais competências na formação de usuários. Caracteriza-se a pesquisa como descritiva, aplicada e de natureza quali-quantitativa. A pesquisa bibliográfica configura-se fundamento conceitual e metodológico necessário para desenvolvimento da fase teórica deste estudo. Quanto à fase empírica, adotou-se o questionário online como instrumento de coleta de dados. A amostra é composta por 53 arquivistas que atuam nos arquivos brasileiros (públicos e privados), o questionário foi enviado através de grupos e comunidades online que reúnem profissionais da área. A análise dos dados se baseia prioritariamente nas categorias de análise e indicadores desenvolvidos, a partir da pesquisa bibliográfica, para aferir as competências infocomunicacionais dos arquivistas. Para tanto, estabeleceu-se três níveis: descrição, comparação e interpretação. As informações coletadas foram descritas fielmente, comparadas com os indicadores de verificação das competências infocomunicacionais e interpretados. Como resultado da pesquisa teórica tem-se a aprimoração dos indicadores de verificação das competências infocomunicacionais e formação de usuários aplicados na pesquisa empírica. Os resultados empíricos mostraram que há relações entre o emprego das competências infocomunicacionais e a atuação do arquivista ao mediar a informação. De forma geral, as competências infocomunicacionais estão mais desenvolvidas no que diz respeito a identificar a necessidade de informação, buscar e avaliar a informação, estabelecer e avaliar a comunicação. Contudo, são identificados obstáculos para se apropriar das informações e manter uma postura mais participativa e colaborativa. Dessa forma, conclui-se que o emprego dessas competências pelos arquivistas influencia diretamente na sua atuação enquanto mediador da informação. E que essa atuação aliada à sua auto-percepção vai interferir diretamente na formação de usuários.

Palavras-chave


Competências infocomunicacionais. Arquivista. Mediação da informação. Mediação da informação arquivística.

Texto completo:

PDF


PontodeAcesso. ISSN: 1981-6766