As coleções fotográficas do Hospital psiquiátrico de Miguel Bombarda

António Fernando Cascais

Resumo


No âmbito do Projeto de I&D “História da Cultura Visual da Medicina em Portugal”, coordenado pelo autor, foram encontrados vários conjuntos de fotografias no Hospital Miguel Bombarda, o mais antigo hospital psiquiátrico português. Dois deles são particularmente relevantes do ponto de vista científico e psiquiátrico. O primeiro data do início do século XX (antes de 1910) e o segundo e maior das décadas de 1920 e 1930 e foram criados na(s) época(s) em que os eminentes psiquiatras portugueses Miguel Bombarda e Sobral Cid foram diretores da instituição. As fotografias pretendiam retratar os estigmas característicos da doença mental e são analisadas no presente texto sob o prisma teórico e o campo concetual da Cultura Visual da Medicina. O uso da fotografia na medicina, tendo gozado de grande favor como instrumento de revelação do invisível (o inconsciente ótico) ao olhar médico, na medida em que captava a realidade dos sintomas e dos estigmas enfim fixados em provas verdadeiras e objetivas capazes de se substituir à retórica das descrições e especulações próprias da narrativa, perdeu credibilidade e autoridade à medida que foram mudando os estilos de raciocínio médico, as conceções de saúde e de doença e as atitudes sociais e políticas.

Palavras-chave


fotografia; psiquiatria; hospital; loucura; estigma.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/rpa.v10i3.20930

PontodeAcesso. ISSN: 1981-6766