RECURSOS DE INFORMAÇÃO NUMA IES: O REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL

Maria João Amante, Teresa Segurado, Bruno Marçal, Susana Lopes

Resumo


Em Portugal, tal como noutros países, o Movimento de Acesso Livre ao Conhecimento materializou-se no aparecimento e consolidação de Repositórios Institucionais, Temáticos ou Híbridos e na publicação de revistas em Acesso Aberto. Em particular, os Repositórios constituíram-se como instrumentos destinados à preservação da memória científica das instituições, como ferramentas de apoio à visibilidade do trabalho desenvolvido pelos investigadores e das próprias instituições e, mais recentemente, como meios de monitorização e avaliação do desempenho de docentes e investigadores. O facto de crescentemente os Repositórios guardarem e facilitarem o acesso a volumes de informação consideráveis, cuja proveniência atesta, em grande medida, a sua qualidade, permite que encaremos os Repositórios como recursos de informação que devem ser utilizados nas Instituições de Ensino Superior (IES) e não só, a par de outros recursos de informação, nomeadamente os eletrónicos (caso das bases de dados comerciais). Com o objetivo de apurar o nível de conhecimento e de utilização do Repositório ISCTE-IUL enquanto recurso de informação, a par de outros recursos de informação existentes na Biblioteca, foi aplicado um inquérito por questionário a docentes, investigadores e estudantes dos vários ciclos de ensino.

Palavras-chave


Acesso Livre ao Conhecimento, Repositórios, Bibliotecas Universitárias, Recursos de Informação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1981-6766rpa.v9i3.15159

PontodeAcesso. ISSN: 1981-6766