Militarismo e Cultura: representações literárias de uma época

Cássio Vinícius dos Santos Marques, Ana Lígia Leite e Aguiar

Resumo


A partir da leitura do livro O ato e o fato, de Carlos Heitor Cony (1964), obra emblemática acerca da Ditadura civil-militar brasileira de 1964, seria possível encontrar biografemas (BARTHES, 2006) dos militares da época da instauração do regime no país. Ao lê-los como alegorias (KOTHE, 1986), poder-se-ia projetar exemplos das representações literárias que o tema do militarismo ganhou no período da instauração do golpe e, dentro da perspectiva de uma formação discursiva (CULLER, 1999), traçar uma genealogia provável dos discursos que estariam ligados à construção desses perfis castrenses, levando-se em conta os diversos enunciados presentes no imaginário nacional sobre o militar, sobretudo aqueles presentes na obra em foco. Posteriormente se propõe uma análise da forma como essas imagens perpetuaram e/ou perpetuam no imaginário brasileiro. As representações do militarismo nesse volume de crônicas evidenciariam as tensões do processo de construção da história, via literatura, através da interpretação crítica dos dispositivos que fabricam imagens, estereótipos e cristalizações dos conceitos.


Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. A câmara clara: nota sobre a fotografia. Tradução: Júlio Castanõn Guimarães. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2012.

BASTOS, Ivan de Mendonça. Os valores na formação do militar. DaCultura, Rio de janeiro, n. 11, p. 9-13, dez. 2006.

BURKE, Peter. A escrita da história. São Paulo: Unesp, 1992.

CASTRO, Celso. A invenção do exército brasileiro. Rio de Janeiro: José Zahar Editor, 2002.

CORAÇÕES e mentes. Direção: Peter Davis. Estados Unidos: Rainbow Pictures, 1974.

CONY, Carlos Heitor. O ato e o fato. Rio de janeiro: Ed. Civilização Brasileira S. A., 1964.

CULLER, Jonathan. O que é teoria?. In: Teoria Literária: uma introdução. São Paulo: Beca, 1999.

EVARISTO, D. Paulo. Brasil: nunca mais. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1985. FOUCAULT, Michel. A história da sexualidade: vontade de saber. Rio de janeiro: Paz e Terra, 2015.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: Nascimento da prisão. Rio de janeiro: Ed. Vozes, 2010.

KOTHE, Flávio R. A alegoria. São Paulo: Editora Ática, 1986.

KOTHE, Flávio R. O herói. São Paulo: Editora Ática, 1987.

O EXPERIMENTO Goebbles. Direção: Lutz Hachmeister; Michael Kloft. Alemanha: Spiegel TV, 2005.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura militar, esquerdas e sociedade. Rio de Janeiro: José Zahar Editor, 2000.

SIMÕES, André Freitas. O ato e o fato: a crônica política de Carlos Heitor Cony. Domínio público, 2009. Disponível em:

Form.do?selectaction=&coobra=160847>. Acesso em: 31 jan. 2015.

SUN TZU. A arte da guerra. Adaptação: James Clavell. Rio de Janeiro: Record, 2004.

WEHLING, Arno. Caxias e o imaginário brasileiro. DaCultura, Rio de janeiro, n. 4, p. 46- 56, mai. 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.