Ética e educação: a opção marxista

Francisco Máuri de Carvalho Freitas

Resumo


Trata o presente estudo, na perspectiva da tradição marxista, de localizar a relação indissociável entre ética e educação ou tendo por opção metodológica o marxismo como instrumento de análise da realidade objetiva e dos determinantes sociais da ética e da educação na cidade do capital. Neste sentido, aponta o estudo que diante de proclamada “exaustão” do marxismo enquanto método de investigação, método de exposição e, sobretudo, linha revolucionária à transformação do capitalismo o transfugir (da esquerda à direita) é um ato imoral à medida que o trânsfuga serve a classe dominante e mantém uma distância asséptica da luta de classes. Este estudo de cunho descritivo assume como tarefa primordial da crítica marxista reportar que, com raras exceções, os intelectuais em geral e os da educação em particular carentes de imaginação porque carentes de razão procuram imobilizar os educandos na confusão dos paradoxos. Enfim, na análise da realidade buscamos distinguir o principal do secundário, o determinante do determinado, distinção sem a qual não é possível edificar uma sólida crítica radical às teorias que protelam a compreensão da educação como instrumento necessário à luta dos operários e trabalhadores e à construção de outro modo de produção da existência para além do capital.

Palavras-chave


Marxismo. Modo de Produção. Ética. Socialismo. Teoria Pedagógica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v2i2.9592

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.