A CLASSE TRABALHADORA, O SURGIMENTO DA CONSCIÊNCIA DE CLASSE E A EDUCAÇÃO

Paulino José Orso

Resumo


Este artigo trata da sociedade de classe, do surgimento da classe trabalhadora, de seu reconhecimento enquanto tal e da educação. Inicia fazendo uma breve discussão sobre as concepções positivista e materialista histórica dialética de sociedade e, na sequência, aborda os ensaios feitos pela classe trabalhadora em sua longa trajetória até conquistar sua consciência para si. Se, desde a antiguidade vivemos numa sociedade de classes, não é desse período a consciência de pertencimento dos trabalhadores a uma classe e, muito menos, por uma ação pautada e consequente com este pertencimento. Essa conquista passa por diversos momentos e lutas, quer seja contra a nobreza e a aristocracia ou contra a burguesia, com quem ombreou muitas lutas para destronar as forças do Antigo Regime. Contudo, nessas lutas a classe trabalhadora também foi percebendo que se a burguesia, em diversos momentos, mostrou-se interessada em fazer alianças circunstanciais para a conquista do poder, ela definitivamente não tinha nenhum interesse em dividi-lo. Com isso, nas sucessivas lutas e traições da burguesia, a classe trabalhadora foi aprendendo não só a não acreditar nas promessas e ilusões de seus antigos “companheiros”, mas também reivindicar para si o direito de dar a direção de suas vidas e de “seu destino”.

Palavras-chave


Classe trabalhadora, consciência de classe, educação, burguesia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v3i2.9450

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.