EDUCAÇÃO BRASILEIRA E ESTRATÉGIAS DE SOBREVIDA DO CAPITALISMO

Adriana Almeida Sales de Melo

Resumo


Na discussão do tema Imperialismo, crise e educação, o ensaio aponta aspectos da nossa totalidade histórica em relação às recentes crises pelas quais passou o capitalismo e sua relação com as mudanças nas políticas educacionais brasileiras. A educação continua no cerne dos projetos de desenvolvimento, como produtora de conhecimento, e também como fio condutor dos processos de conformação social. São também discutidas as sequelas das crises: o aumento da desigualdade social e também o aumento da exploração do trabalho. Tornar claro nosso projeto de sociedade e de educação, como resistência aos movimentos de sobrevida do capitalismo é uma necessidade nos movimentos de construção de contra-hegemonia.

Palavras-chave


Capitalismo; crise; educação brasileira.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v4i1.9401

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.