ESTADO, MOVIMENTOS SOCIAIS E EDUCAÇÃO DO CAMPO: UMA SINTONIA COM O IMPERIALISMO

Marilsa Miranda de Sousa

Resumo


O trabalho centra-se nas políticas públicas impostas pelo imperialismo e nas relações semifeudais e semicoloniais do capitalismo burocrático brasileiro. A pesquisa identifica que as políticas do Banco Mundial, estão presentes em todos os municípios do Estado de Rondônia, que se fundamentam no neoprodutivismo (neopragmatismo e neotecnicismo) propagados no Brasil pelo ideário pós-moderno, a partir da década de 1990. Essas políticas foram implantadas arbitrariamente pelo poder coronelício existente em todo território brasileiro. O estudo demonstra que as pedagogias do campo propostas pela Via Campesina não diferem da educação burguesa pós-moderna imposta pelo imperialismo às semicolônias.

Palavras-chave


Educação do Campo; Capitalismo Burocrático; Imperialismo; Semifeudalidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v4i2.9390

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.