A EDUCAÇÃO EFICIENTE COMO ESTRATÉGIA PARA O ALÍVIO DA POBREZA

João Batista Zanardini

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar o papel que uma determinada proposição educacional adquire, após os anos 1990, como estratégia para o alívio da pobreza. Tomamos para análise o papel preponderante que o Banco Mundial assume nesse sentido, na proposição de políticas sociais consoante a chamada reestruturação produtiva embasando sua “preocupação” com o alívio da pobreza por meio do incremento da produtividade dos pobres. Remete-se aí à importância da avaliação educacional, pois o grau de eficiência da educação “mede-se” pelos resultados nos testes avaliativos em larga escala, no sentido de incrementar a produtividade dos pobres, concretizada em sua capacidade de trabalhar.

Palavras-chave


avaliação; educação eficiente; Banco Mundial e pobreza

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v4i2.9389

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.