A recepção de Lênin no pensamento social e político brasileiro

Theófilo Machado Rodrigues

Resumo


O presente artigo sustenta que, a partir das décadas de 1960 e 1970, Lenin foi recepcionado no pensamento social e político brasileiro inserido em dois eixos temáticos principais: o dos conceitos de formação social e via prussiana, de um lado; e o da teoria do imperialismo, de outro. No primeiro caso, o conceito de via prussiana foi posto em diálogo com os conceitos de revolução passiva, de Antônio Gramsci, e de modernização conservadora, de Barrington Moore, no contexto da interpretação da revolução pelo alto como marca do desenvolvimento do capitalismo brasileiro. No segundo caso, sua teoria do imperialismo foi entendida como o alicerce teórico para o posterior desenvolvimento da teoria da dependência.


Palavras-chave


Lenin; Pensamento Social Brasileiro; Teoria da Dependência.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Por Marx. Campinas: Editora Unicamp, 2015.

AMAZONAS, João. Uma linha confusa e de direita. Jornal Novos Rumos, Rio de Janeiro, 10-16 jun. 1960, p. 10.

AMIN, Samir. O desenvolvimento desigual: ensaio sobre as formações sociais do capitalismo periférico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1976.

BALIBAR, Étienne. Sobre os conceitos fundamentais do materialismo histórico. In: ALTHUSSER, Louis; BALIBAR, Étienne; ESTABLET, Roger. Ler O Capital. Rio de Janeiro: Zahar, 1980. v. 2.

BORON, Atilio. A questão do imperialismo. In: BORON, Atilio; AMADEO, Javier; GONZÁLEZ, Sabrina (orgs). A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. Buenos Aires: Clacso, 2006.

BRANDÃO, Octávio. Agrarismo e industrialismo. São Paulo: A. Garibaldi, 2006.

CARDOSO, Fernando Henrique. Autoritarismo e democratização. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

CARDOSO, Fernando Henrique. As ideias e seu lugar: ensaios sobre as teorias do desenvolvimento. Petrópolis-RJ: Vozes, 1980.

CARDOSO, Fernando Henrique. O modelo político brasileiro. Rio de Janeiro: Difel, 1977.

CARDOSO, Fernando Henrique; MARTINS, Carlos Estevam. Política & sociedade. São Paulo: Editora Nacional, 1979.

CARVALHO, Maria Alice Rezende de. Prefácio. In: VIANNA, Luiz Werneck. A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 2004.

COUTINHO, Carlos Nelson. O Gramsci no Brasil: recepção e usos. In: MORAES, João Quartim (org). História do marxismo no Brasil: teorias; interpretações. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2007.

COUTINHO, Carlos Nelson. A presença de Gramsci no Brasil. Revista Em Pauta: teoria social e realidade contemporânea, n. 22, p. 37-44, 2008.

COUTINHO, Carlos Nelson. Uma via “não clássica” para o capitalismo. In: D’INCAO, Maria Angela (Org.). História e ideal: ensaios sobre Caio Prado Junior. São Paulo: Brasiliense, 1989.

COUTINHO, Carlos Nelson. A democracia como valor universal. Encontros com a Civilização Brasileira, n. 9, mar. 1979.

FERNANDES, Florestan. O que é o marxismo-leninismo? In: FERNANDES, Florestan (org). Lênin. São Paulo: Ática, 1978.

FOSTER, John Bellamy. O redescobrimento do imperialismo. In: BORON, Atilio; AMADEO, Javier; GONZÁLEZ, Sabrina (orgs). A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. Buenos Aires: Clacso, 2006.

FRANK, Andre Gunder. O inimigo imediato. In: LOWY, Michael (org). O marxismo na América Latina: uma antologia de 1909 aos dias atuais. São Paulo: Perseu Abramo, 1999.

FRANK, Andre Gunder. Desenvolvimento do subdesenvolvimento latino-americano. In: PEREIRA, Luiz (org). Urbanização e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

FREDERICO, Celso. Presença de Lukács na política cultural do PCB e na universidade. In: MORAES, João Quartim (org). História do marxismo no Brasil: os influxos teóricos. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2007.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011. v. 5.

GUIMARÃES, Alberto Passos. Quatro séculos de latifúndio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1968.

GUIMARAES, Antonio Sérgio Alfredo. A recepção de Fanon no Brasil e a identidade negra. Novos estud. - CEBRAP, São Paulo, n. 81, p. 99-114, July 2008.

HARNECKER, Marta. Os conceitos elementares do materialismo histórico. São Paulo: Global, 1983.

JABBOUR, Elias. O marxismo e outras influências sobre o pensamento de Ignacio Rangel. Economia e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 3, p. 561-583, dez. 2017.

KAREPOVS, Dainis; LOWY, Michael; NETO, José Castilho Marques. Trotsky e o Brasil. In: MORAES, João Quartim (org). História do marxismo no Brasil: os influxos teóricos. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2007.

KONDER, Leandro. A democracia e os comunistas no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

KOWARICK, Lucio. Capitalismo e marginalidade na América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

LEAL, Murilo; KAREPOVS, Dainis. Os trotskismos no Brasil: 1966-2000. In: RIDENTI, Marcelo; AARÃO REIS, Daniel (orgs). História do marxismo no Brasil: partidos e movimentos após os anos 1960. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2007.

LENIN, Vladimir Ilitch. What the “Friends of the People” are and how they fight the social-democrats. In: LENIN, Vladimir Ilitch. Collected works: 1893-1894. Moscow: Progress Publishers, 2008. v. 1.

LENIN, Vladimir Ilitch. O desenvolvimento do capitalismo na Rússia. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

LENIN, Vladimir Ilitch. O programa agrário da social-democracia na primeira Revolução Russa de 1905-1907. São Paulo: Ciências Humanas, 1980.

LENIN, Vladimir Ilitch. O imperialismo, fase superior do capitalismo. Lisboa: Avante, 1975.

LENIN, Vladimir Ilitch. Kommunismus: Journal of the Communist International. In: LENIN, Vladimir Ilitch. Collected works. Moscow: Progress Publishers, 1965, p. 165-167. v. 31.

MAIA, João Marcelo Ehlert. A Rússia americana. Sociedade e Estado, Brasília, v. 20, n. 2, p. 427-450, ago. 2005.

MARTINS, Carlos Eduardo. Globalização, dependência e neoliberalismo na América Latina. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARTINS, Carlos Eduardo. Dependency, neoliberalism, and globalization in Latin America. Leiden; Boston: Brill, 2020.

MARTINS, José de Souza. Prefácio. In: FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. São Paulo: Globo, 2006.

MORAES, João Quartim. O estatuto teórico da noção de dependência. Crítica Marxista, n.31, p.23-36, 2010.

MORAES, João Quartim. O programa nacional-democrático: fundamentos e permanência. In: MORAES, João Quartim; DEL ROIO, Marcos (Org.). História do marxismo no Brasil: visões do Brasil. Campinas: Editora Unicamp, 2007.

MOORE, Barrington. As origens sociais da ditadura e da democracia: senhores e camponeses na construção do mundo moderno. Lisboa: Cosmos, 1975.

NAVARRO, Zander. Meio século de interpretações sobre o rural brasileiro (1968-2018). Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 57, n. 3, p. 472-489, set. 2019.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. O encontro de Joaquim Nabuco com a política: as desventuras do liberalismo. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

OLIVEIRA, Francisco de. Crítica à razão dualista/O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

OLIVEIRA, Francisco de. A economia brasileira: crítica à razão dualista. Petrópolis-RJ: Vozes, 1988.

PATNAIK, Prabhat. Whatever happened to Imperialism? Monthly Review, v.42, n. 6, nov, 1990.

PERLATTO, Fernando; LIMA, Pedro Luiz. Habermas e a teoria sociológica no Brasil: modos de usar. Anais do 35º Encontro Anual da Anpocs. Caxambu-MG, 2011.

POULANTZAS, Nicos. Poder político e classes sociais. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

PRESSLER, Gunter Karl. Benjamin, Brasil: a recepção de Water Benjamin, de 1960 a 2005: um estudo sobre a formação da intelectualidade brasileira. São Paulo: Annablume, 2006.

ROSSO, Sadi Dal; SEABRA, Raphael Lana. A teoria marxista da dependência: papel e lugar das ciências sociais da Universidade de Brasília. Soc. estado., Brasília, v. 31, n. spe, p. 1029-1050, 2016.

SAES, Décio. O impacto da teoria althusseriana da história na vida intelectual brasileira. In: MORAES, João Quartim (org). História do marxismo no Brasil: teorias; interpretações. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2007.

SANTOS, Theotonio. Subdesenvolvimento e dependência. In: LOWY, Michael (org). O marxismo na América Latina: uma antologia de 1909 aos dias atuais. São Paulo: Perseu Abramo, 1999.

SECCO, Lincoln. Gramsci e o Brasil. Recepção e difusão de suas idéias. São Paulo: Cortez, 2002.

SILVA, Felipe Maia Guimarães. Questão agrária e modernização no Brasil. Tese (Doutorado em Sociologia) — Instituto de Estudos Sociais e Políticos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

VELHO, Otávio Guilherme. Capitalismo autoritário e campesinato. São Paulo: Difel, 1979.

VIANNA, Luiz Werneck. Liberalismo e sindicato no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

VIANNA, Luiz Werneck. À propósito de uma apresentação. In: GRUPPI, Luciano. O conceito de hegemonia m Gramsci. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

WEFFORT, Francisco. O populismo na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v12i2.37586

Direitos autorais 2020 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.