O fim da república brasileira e a urgência da educação para além do capital

Henrique Tahan Novaes

Resumo


Este artigo aborda o fim da república brasileira para depois caracterizar brevemente a educação para além do capital e sua urgência no atual contexto brasileiro. Analisa também as lutas recentes dos movimentos sociais e sua potencialidade anticapital. Depois disso esboçamos a necessidade de uma teoria da transição ao socialismo adequada à nova fase do capitalismo no país.


Palavras-chave


Fim da República brasileira, Educação para além do capital

Texto completo:

PDF

Referências


DAVIS, Mike. Planeta favela. São Paulo: Boitempo, 2007.

DEO, Anderson. Autocracia burguesa e questão agrária no Brasil. In: PIRES, J. H. et. al. (orgs.) Questão agrária, cooperação e agroecologia. Uberlândia (MG): Navegando, 2017, volume vol. 3.

DEO, Anderson. Uma transição à long term: a institucionalização da autocracia burguesa no Brasil. In: Milton Pinheiro. (org.). Ditadura: o que resta da transição. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014, v. 1, p. 303-330.

DUARTE, Rodrigo. Marx e a natureza em O capital. Rio de Janeiro: Loyola, 1986.

GONÇALVES, Walter Porto et. al. In: Conflitos no campo 2015. Goiânia: CPT, 2016.

GUHUR, Dominique. Questão ambiental e agroecologia: notas para uma abordagem materialista dialética. In: NOVAES, H. T.; MAZIN, A. D.; SANTOS, L. Questão agrária, cooperação e agroecologia. São Paulo: Expressão Popular, 2015, vol I.

HARVEY, David. O novo imperialismo. São Paulo: Loyola, 2004.

KOVEL, Joel; LOWY, Michel. Manifesto ecossocialista internacional. Revista “Capitalism, Nature, Socialism - A Journal of Socialist Ecology”, 2003.

LENIN, Vladimir. Imperialismo: – fase superior do capitalismo. São Paulo: Centauro, 2003.

LIMA FILHO, Paulo A. Sobre as revoluções burguesas radicais. In: NOVAES, H. T.; DAL RI, N. (orgs.) Movimentos sociais e crises contemporâneas à luz dos clássicos do materialismo crítico. Uberlândia (MG): Navegando, 2017, volume vol. 2.

LIMA FILHO, Paulo Alves de. Pensando com Marx (I). Marília-São Paulo: Lutas anticapital-Aramarani, 2018.

LIMA, A. GUHUR, D. TONÁ, N.; NOMA, A. Reflexões sobre a educação profissional em agroecologia no MST: desafios dos cursos técnicos do Paraná. In: RODRIGUES, F. C.; NOVAES, H. T.; BATISTA, E. L. (orgs.) Movimentos sociais, trabalho associado e educação para além do capital. São Paulo: Outras Expressões, 2012.

LOWY, Michel. Ecologia e socialismo. São Paulo: Cortez, 2003.

LOWY, Michel. Ecossocialismo e planejamento democrático. Crítica Marxista, n. 28, 2009, p. 35-50.

MACEDO, Rogério Fernandes. A destruição em massa: a tragédia da fome e da degradação dos hábitos alimentares. In: NOVAES, H. T.; SANTOS, J.; PIRES, J. H. (orgs.) Questão agrária, cooperação e agroecologia, vol. I. São Paulo: Outras Expressões, 2015.

MACHADO, FILHO, Luiz P.; MACHADO FILHO, Luiz P. A dialética da agroecologia: – contribuição para um mundo com alimentos sem veneno. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

MARQUES, Luiz. Capitalismo e colapso ambiental. Campinas: Ed. Unicamp, 2015.

MÉSZÁROS, I. Atualidade histórica da ofensiva socialista:– uma alternativa radical ao sistema parlamentar. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

MÉSZÁROS, István. O desafio e o fardo do tempo histórico. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

MÉSZÁROS, István. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

MINTO, Lalo W. Governo e educação novamente golpeados: consequências para o ensino superior e o trabalho docente. In: MACEDO, R. F.; NOVAES, H.T.; LIMA FILHO, P. A. (orgs). Movimentos sociais e crises contemporâneas. Marília (SP): Lutas Anticapital, 2018, volume vol. 3.

NETTO, José Paulo. Prefácio. In: ZIEGLER, Jean. Destruição em massa: – geopolítica da fome. São Paulo: Cortez, 2013.

NETTO, José Paulo. Uma face contemporânea da barbárie. Rio de Janeiro, 2008.

NOVAES, H.T.; PIRES, J.H. Corporações transnacionais, a agenda agroecológica do MST e as escolas de agroecologia. In: NOVAES, H.T.; MACEDO, R. F.; LIMA FILHO, P. A. (orgs) Movimentos sociais e crises contemporâneas. Uberlândia (MG): Navegando, 2017, vol. 2.

NOVAES, Henrique T.; SANTOS, Lais; PIRES, João; FUZER, Antônio. A economia política da “revolução verde”, a agroecologia e as escolas de agroecologia do MST. In: NOVAES, H. T.; MAZIN, A. D.; SANTOS, L. Questão agrária, cooperação e agroecologia. São Paulo: Expressão Popular, 2015, vol I.

NOVAES, Henrique Tahan. Prefácio. In: Cidadania do capital? A estratégia da intervenção social das corporações empresariais. São Paulo: Sundermann, 2017.

NOVAES, Henrique Tahan. Reatando um fio interrompido: – a relação universidade movimentos sociais na América Latina. São Paulo: Expressão Popular-Fapesp, 2012.

PETERSEN, Paulo. Apresentação - Um novo grito contra o silêncio. In: Dossiê Abrasco. São Paulo: Expressão Popular, 2013.CARNEIRO, Fernando Ferreira (org.) Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular, 2015, p.27-36.

PINASSI, Maria O; MAFORT, K. Os agrotóxicos e a reprodução do capital na perspectiva feminista da Via Campesina. In: RODRIGUES, F. C.; NOVAES, H. T.; BATISTA, E. (orgs.) Movimentos sociais, trabalho associado e educação para além do capital. São Paulo: Outras Expressões, 2012.

PINHEIRO MACHADO, Luiz C.; PINHEIRO MACHADO FILHO, L. C. A dialética da agroecologia. São Paulo: Expressão Popular, 2014.

PIRES, João Henrique Souza; NOVAES, Henrique Tahan. Estudo, trabalho e agroecologia: a proposta política pedagógica dos cursos de agroecologia do MST no Paraná. In: Germinal: marxismo e educação em debate, Salvador, v. 8, n. 2, p. 110-124, dez. 2016.

PISTRAK, Moisey M. Fundamentos da escola do trabalho. 4ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

PLOEG, Jan. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: UFRGS, 2008.

PRADO JR., Caio. A revolução brasileira. São Paulo: Brasiliense, 2002.

REGO, Thelmely Torres. Formação em agroecologia. Programa do Contestado da AS-PTA. 313f. Tese (Doutorado em Educação), UFSC, 2016.

RODRIGUES, Fabiana. MST: - formação política e reforma agrária nos anos de 1980. Tese de Doutorado, Campinas, Faculdade de Educação, 2013.

SACHS, Ignacy. Espaços, tempos e estratégias de desenvolvimento. São Paulo: Vértice, 1987.

SADER, Eder. Quando novos personagens entram em cena. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

SAMPAIO JR., P. Notas críticas sobre a atualidade e os desafios da questão agrária. In: STEDILE, J. P. (org.) Debates sobre a situação e perspectivas da reforma agrária na década de 2000. São Paulo: Expressão Popular, 2013, p. 189-240.

SANTOS, L. Gestão democrática e participação na educação profissional agroecológica do MST (PR): limites e possibilidades de uma educação emancipatória. 150f. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação), UNESP, 2015.

SEVÁ FILHO, A. Populações e territórios espoliados pela ampliação recente da infraestrutura industrial capitalista: focos de luta política e ideológica na América do Sul. Marília: Lutas anticapital, 2019.

SHULGIN, Viktor. N. Rumo ao politecnismo. 1 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SILIPRANDI, Emma. Mulheres e agroecologia: a construção de novos sujeitos políticos na agricultura familiar. 2009. 292f. Tese (Doutorado) - Desenvolvimento Sustentável, UnB, 2009.

SODRÉ, Nelson Werneck. Quem é o povo no Brasil? Marília: Lutas anticapital, 2019.

TAIT, Marcia. Elas dizem não! Mulheres camponesas e resistência ao cultivo de transgênicos no Brasil e Argentina. 220f. 2014. Tese. (Doutorado em Política Científica e Tecnológica), Universidade Estadual de Campinas.

TORRES, Michelangelo. Cidadania do capital? A estratégia da intervenção social das corporações empresariais. São Paulo: Sundermann, 2017.

VIEITEZ, Candido. Prefácio. In: NOVAES, H. T.; DAL RI, N. (orgs.) Movimentos sociais e crises contemporâneas à luz dos clássicos do materialismo crítico. Uberlândia (MG): Navegando, 2017, volume vol. 2.

VILLAÇA, Flavio. O que todo cidadão precisa saber sobre habitação. São Paulo: Ed. Global, 1986.

ZIEGLER, Jean. Destruição em massa: – geopolítica da fome. São Paulo: Cortez, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v11i1.32270

Direitos autorais 2019 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.