Relação público privado e precarização do trabalho: duas faces da mesma moeda.

João Gomes Moreira, Maria Eliza Nogueira Oliveira, Regilson Maciel Borges

Resumo


O artigo buscou entender como se processa a relação público-privada na educação e de onde vêm essa força do capital que penetra em todas as instâncias do poder público. Esclarecemos que a relação público-privada nada mais é que uma estratégia do capital para criar e ampliar novos nichos de mercado para a superação da crise cíclica do capitalismo, sempre apresentada com novas roupagens nas mutações que se processam, para reduzir os efeitos da inevitável na asfixia social que acabaram por gerar grandes revoluções registrada em seu processo histórico. Por fim, tentou-se demonstrar a influência das relações público-privadas na precarização do trabalho docente e apontar como horizonte a retomada das lutas sociais em defesa da escola pública.


Palavras-chave


Relação público-privada; Precarização do trabalho; Educação como mercadoria.

Texto completo:

PDF

Referências


ADRIÃO, Theresa et al. Uma Modalidade Peculiar de Privatização da Educação Pública: a aquisição de “Sistemas de Ensino” por Municípios Paulistas. Educ.Soc., Campinas, v. 30, n. 108, p. 799-818, out. 2009.

ADRIÃO, Theresa. Entrevista com Theresa Adrião (Unicamp) - "A privatização da escola pública". Série "Conquistas em Risco", Rio de Janeiro, 18 abr. 2016.

ARELARO, Lisete Regina Gomes. Formulação e implementação das políticas públicas em educação e as parcerias público-privadas: impasse democrático ou mistificação política? Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 899-919, out. 2007. Disponível em :

< http://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a1328100.pdf> Acesso em : 08 de ago. de 2018.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho? São Paulo: Cortez, 2006.

ANTUNES, Ricardo. O Privilégio da Servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BRASIL. Presidência da República. Câmara da Reforma do Estado. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília, 1995. Disponível em: Acesso em: 10 de set. de 2018.

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. A reforma do estado dos anos 90: lógica e mecanismos de controle. Brasília: Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado, 1997. Disponível em: Acesso em: 10 set., 2018.

BRUNO, Lúcia. Educação e desenvolvimento econômico no Brasil. Revista de Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 48, p. 545-562, set./dez. 2011.

ESTEVE, José Maria. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, António (Org.). Profissão Professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1999. p. 93-124.

FREITAS, Luiz Carlos. Agenda dos reformadores empresariais pode destruir a educação pública no Brasil. Revista Adusp, São Paulo, p. 6-15, out. 2012.

FREITAS, Luiz Carlos. Reformadores Empresariais da Educação e a disputa pelo controle. Educ. Soc., Campinas, v. 35, nº. 129, p. 1085-1114, out./dez., 2014.

FREITAS, Luiz Carlos. A reforma empresarial da educação: Nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria. Educar o trabalhador cidadão produtivo ou o ser humano emancipado? Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 45-60, mar. 2003.

LEHER, Roberto. Um Novo Senhor da educação? A política educacional do Banco Mundial para a periferia do capitalismo. Revista Outubro, 3ª Ed.,1999.

LEHER, Roberto. Organização, estratégias políticas e Plano Nacional de Educação. In: II Encontro Nacional de Educadoras e/educadores da Reforma Agrária. São Paulo: MST, 2014. p. 71-91.

LEITE, Yoshie Ussami Ferrari; DI GIORGI, Cristiano Amaral Garboggini. Saberes docentes de um novo tipo na formação profissional do professor: alguns apontamentos. Educação, Santa Maria, v. 29, n. 2, p. 135-145, 2004.

MÉSZÁROS, István. Educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

PERONI, Vera Maria Vidal; OLIVEIRA, Regina Tereza Cestari de; FERNANDES, Maria Dilnéia Espíndola. Estado e Terceiro Setor: As novas regulações entre o público e o privado na gestão da educação básica brasileira. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 108. p. 761-778, out. 2009.

PERONI, Vera Maria Vidal. As relações entre o Púbico e o Privado nas políticas Educacionais no Contexto da Terceira Via. Currículo sem Fronteiras, v. 13, n. 2, p. 234-255, maio/ago. 2013.

PERONI, Vera Maria Vidal; CAETANO, Maria Raquel. O público e o privado na educação. Projeto em disputa? Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n.17, p.337-352, jul./dez. 2015.

PERONI, Vera Maria Vidal. Implicações da Relação Público-Privada para a Democratização na Educação. In: Reunião Científica Regional da ANPEDSul, 21, 2016, Curitiba. Anais... Curitiba: UFPR, 2016, p. 1-21.

POCHMANN, Márcio. A década dos mitos. São Paulo: Pinsy Ltda, 2001.

SAMBRANA, Carlos. Duelo de gigantes pelo bilionário mercado de educação básica. 2018. Disponível em < https://www.linkedin.com/pulse/duelo-de-gigantes-pelo-bilion%C3%A1rio-mercado-educa%C3%A7%C3%A3o-b%C3%A1sica-sambrana>. Acesso em: 10 ago. 2018.

SINGER, Paul. Poder, política e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 1, p. 05-15, jan./abr. 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v11i1.31807

Direitos autorais 2019 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.