“Passei a entender a influência do capital na saúde pública...”: formação política crítica dos trabalhadores do sistema único de saúde

Leonardo Carnut, Tarsila Teixeira Vilhena Lopes, Samara Jamile Mendes, Áquilas Mendes

Resumo


Analisou-se a percepção dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), em um Curso de Formação Política, acerca dos desafios contemporâneos da saúde pública a luz da matriz marxista. Pedagogicamente, usou-se estratégias ativas emancipadoras e, analiticamente, conduziu-se uma Análise do Conteúdo das percepções dos 86 trabalhadores sobre como o curso contribuiu para compreender estes desafios. Os trabalhadores referiram-se, majoritariamente, ao fato de “Entender(em) melhor a influência do capital na saúde pública”. Desta forma, os trabalhadores passaram a delimitar melhor os desafios da saúde pública, diferentemente dos temas que tradicionalmente vem sendo apresentados pela saúde coletiva.

Palavras-chave


Saúde pública, Formação política, Crítica, Ensino, SUS

Texto completo:

PDF

Referências


ABRASCO. Saberes, conhecimento científico e pensamento crítico em saúde em Mesa Redonda no 3º Congresso de Política. Disponível em: https://www.abrasco.org.br/site/eventos/congresso-brasileiro-de-politica-planejamento-e-gestao-em-saude/saberes-conhecimento-cientifico-e-pensamento-critico-em-saude-em-mesa-redonda-no-3o-congresso-de-politica/28507/. Acesso: 26, jan 2018.

ALVARENGA, Augusta Thereza. A Saúde Pública como campo de investigação interdisciplinar e a questão metodológica. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 22-41, 1994.

BAUER, Martin W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin W; GASKELL, Georg. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som – um manual prático. 8a Edição . Petrópolis, RJ: Vozes, 2010, p. 189-217.

BOGO, Ademar. Organização política e política de quadros. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

BOSCHETTI, Ivanete. Assistência Social e Trabalho no Capitalismo. São Paulo: Cortez, 2016.

BREILH, Jaime. Espejo adelantado de la ciencia crítica: una “antihistoria” de sus ideas en salud. Universidad Andina Simón Bolívar. Sede Ecuador. Corporación Editora Nacional. Maio de 2016.

CAMPOS, Gastão Wagner de Souza. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes e práticas. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 219-230, 2000.

CARNUT, Leonardo; IANNI, Aurea Maria Zöllner. Para repensar ‘o político’ na saúde: o pensamento Floreal Antonio Ferrara - primeiras contribuições. Anais do 7º. Seminário da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde. 2017, p 1-9.

CODATO, Adriano. O espaço político segundo Marx. Crítica Marxista, Campinas, SP, n. 32, p. 33-56, 2011.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 8a. edição. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à práticas educativa. 47a. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2013.

LÖWY, Michel; DUMÉNIL, Gérard; RENAULT, Emmanuel. 100 palavras do marxismo. São Paulo: Cortez, 2015.

MÁRKUS, György. Marxismo e antropologia: o conceito de “essência humana” na filosofia de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MARX, Karl. A mercadoria. In: ___. O Capital: Crítica da economia política. Livro I: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013, pp. 113-158.

MARX, Karl. O Capital: Crítica da economia política. Livro III. São Paulo: Boitempo, 2017.

MARX, Karl. O manifesto comunista. 5a. reimpressão. São Paulo: Boitempo, 2007.

MENDES, Áquilas. A saúde pública brasileira no contexto da crise do Estado ou do capitalismo? Saúde e Sociedade. São Paulo, v.24, supl.1, p.63-78, 2015.

MITRE, Sandra Minardi et al. Metodologias ativas na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl 2, p. 2133-2144, 2008.

OLIVEIRA, Eliana et al. Análise de conteúdo e pesquisa na área de educação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n.9, p.11-27, 2003.

OLIVEIRA, Jaime de. Reformas e Reformismo: “Democracia Progressiva” e Políticas sociais (ou “Para uma teoria política da Reforma Sanitária”). Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, p. 360-387, 1987.

PACHUKANIS, Evguiéni. A teoria geral do direito e o marxismo e ensaios escolhidos (1921-1929). São Paulo: Sundermann, 2017.

PAIM, Jairnilson Paim; ALMEIDA-FILHO, Naomar de. Saúde coletiva: uma “nova saúde pública” ou campo aberto a novos paradigmas? Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 32, n. 4, p. 299-316, 1998.

PELOSO, Ranulfo. Trabalho de base: seleção de roteiros organizados pelo Cepis. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

TEIXEIRA, Sonia Fleury. (Org.). Reforma sanitária: Em busca de uma teoria. 1. ed. São Paulo: Cortez, 1989. 232p.

TRAGTENBERG, Maurício. Sobre educação, política e sindicalismo. 3a. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2004.

VASCONCELOS, Kathleen Elane Leal; SCHMALLER, Valdilene Pereira Viana. Promoção da Saúde: polissemias conceituais e ideopolíticas. In: COSTA, Maria Dalva Horácio; VASCONCELOS, Kathleen Elane Leal. Por uma crítica da promoção da saúde: contradições e potencialidades no contexto do SUS. São Paulo: Hucitec, 2014. p. 47-110.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v11i1.30556

Direitos autorais 2019 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.