As modernas competênciasprofissionais como forma de dissimulação da antiga exploração do trabalhador

Cleverson Molinari Mello

Resumo


O presente estudo analisa as “competências profissionais” através da discussão de teorias administrativas implantadas na indústria, considerando a divisão do trabalho, a força produtiva e as relações sociais capitalistas. Tais teorias vêm ajustando o trabalhador à nova forma de produção capitalista alicerçada nos “valores organizacionais” e “atitudes aceitáveis”. Por consequência, a doutrinação nas empresas consegue reduzir os conflitos e a resistência dos trabalhadores frente à exploração cada vez mais requintada.


Palavras-chave


Trabalho; Exploração do trabalhador; Educação; Marx

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMIDES, M. B. C.; CABRAL, M. do S. R. Regime de acumulação flexível e saúde do trabalhador. Perspectiva, v. 17, n. 1 São Paulo, jan./mar. 2003.

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/spp/v17n1/v17n1a01.pdf

Acesso em: 25/03/2015.

ALVAREZ-BALLESTEROS. M..E. Administração da Qualidade e Produtividade: abordagens do processo administrativo. São Paulo: Atlas, 2001.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho. 6. ed. São Paulo: Boitempo, 2002.

BOUDREAU, J. W. , BOSWELL, W. R. , JUDGE, T. A. (2001). Effects of personality on executive career success in the United States and Europe. Journal of Vocational Behavior, 58, 53-81, 2001.

CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. 6ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

COGGIOLA, O. KATZ, C. Neoliberalismo ou Crise do Capital?. 2ª ed. São Paulo: Xamã, 1996.

COURPASSON, D. Managerial strategies of domination – power in soft bureaucracies. Organization Studies, v. 21, n. 1, pp. 141-161, 2000.

DEJOURS, Christophe. A Banalização da Injustiça Social. 5ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003.

EXAME. As empresas olham tudo dos funcionários nas redes sociais. Revista Exame. Carreira – Você S/A. Edição digital. 16/01/2014.

Disponível em: https://exame.abril.com.br/carreira/as-empresas-olham-tudo/

Acesso em 25/03/2018.

FORRESTER, Viviane. O horror econômico. São Paulo: EdUNESP, 1997.

GARAVAN, T. N. , MORLEY, M. , GUNNIGLE, P. , COLLINS, E. Human capital accumulation: the role of human resource development. Journal of European Industrial Training, 25 (2-4), 48-68, 2001.

GREY, C., GARSTEN, C. Trust, control and post-bureaucracy. Organization Studies, v. 22, n. 2, pp. 229-249, 2001.

GUERREIRO RAMOS, Alberto. A Nova Ciência das Organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1989.

LAFARGUE, O direito à preguiça. São Paulo: Claridade, 2003.

MARTINS, P. G. LAUGENI, F. P. Administração da Produção. 2. Ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010.

MELLO, C. M. Programa Universidade Para Todos – PROUNI. Qualificar para quê? 2007. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Tuiuti do Paraná.

MELLO, C. M. A (des) qualificação na sociedade do trabalho como profissão de fé. 1ª ed. Curitiba: CRV, 2018.

MOREIRA, D. A. Administração da produção e operações. 2. Ed. Rev. ampl. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

PAGÈS, M., BONETTI, M., DE GAULEJAC, V., DESCENDRE, D. O poder das organizações. São Paulo: Atlas, 1987.

RIFKIN, J. O fim dos empregos: o declínio inevitável dos níveis dos empregos e a redução da força global de trabalho. São Paulo: Makron Books, 1995.

ROMANIUK, K. , SNART, F. Enhancing employability: the role of prior learning assessment and portfolio. Journal of workplace Learning: Employee Counselling Today, 12 (1), 29-34, 2000.

WOOD JR., T. Organizações de simbolismo intensivo. In: Miguel Caldas e Thomas Wood Jr., Transformação e realidade organizacional – uma perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 1999.

KUENZER, A. Pedagogia da Fábrica. 8ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v11i1.30553

Direitos autorais 2019 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.