A reforma trabalhista e seus impactos nos direitos dos trabalhadores

Rachel Araujo de Matos, Adriana Alves da Silva, Gleiciana Noronha Guedes, Liara Aparecida da Costa Fiusa

Resumo


O artigo discute a atual Reforma da Consolidação das Leis Trabalhistas, aprovada em 13 de julho de 2017, pela Lei n° 13.467, onde se constata verdadeiro retrocesso social pela retirada de direitos há muito tempo conquistados, e a despolitização da classe trabalhadora ao destituir a contribuição sindical, fazendo com que o trabalhador não mais se sinta representado pelas suas organizações, provocando a alienação e fechamento de caminhos de luta. Defende a tese de que a classe trabalhadora nunca garantiu direitos sem luta e resistência e por isso é preciso não paralisar diante das perdas que já se efetivaram, mas lutar pelos direitos e emancipação de todos os brasileiros.

Palavras-chave


Marx

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Ângela Santana do; CÉSAR, Mônica de Jesus. O trabalho do assistente social nas empresas capitalistas. In. CFESS/ ABEPSS/ CEAD-UnB. Pós-Graduação Latu Sensu em Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CEAD/UnB, 2010

ANTUNES, Ricardo. A nova morfologia do trabalho e as formas diferenciadas de reestruturação produtiva no Brasil dos anos 1990. Sociologia. Revista da faculdade de Letras da Universidade do Porto Vol. XXVII, 2014 pág. 11-25

BEHRING, Elaine. Brasil em Contra-Reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

BOSCHETE, Ivanete S. Seguridade Social no Brasil: consequências e limites a sua efetivação. In. CFESS/ ABEPSS/ CEAD-UnB. Pós-Graduação Latu Sensu em Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CEAD/UnB, 2010

BRASIL. Decreto-Lei Nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Rio de Janeiro, 1943. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del5452.htm. Acesso em 15 de nov 2018

BRASIL. Lei Nº13.467, De 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no5.452, de 1o de maio de 1943, e as Leis nos 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Brasília, DF, 13 de julho de 2017. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13467.htm. Acesso em 15 de nov 2018

GALVÃO. A. et al. Dossiê reforma trabalhista. Campinas, Cesit/ie/Unicamp. Disponível em http://www.cesit.net.br/dossie-reforma-trabalhista/, consultado em 31/7/2017

MARX, Karl. Para a questão judaica. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

NAVARRO, Vera Lúcia. Reforma Trabalhista: é muito atraso, é muito retrocesso. Entrevista. Revista Adital. 13 de novembro de 2017. São Leopoldo. RS. Disponível em http://www.ihu.unisinos.br/186-noticias/noticias-2017/573562-reforma-trabalhista-e-muito-atraso-e-muito-retrocesso. Acesso em 15 de nov 2018

PANIAGO, Maria Cristina Soares. As Políticas Sociais, as lutas defensivas do Welfare State e a luta histórica pela jornada de trabalho de 10 horas - contribuições problemáticas à luta pela emancipação do trabalho. X Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais, Rio de Janeiro, RJ, 2001, disponível em http://www.cristinapaniago.com/yahoo_site_admin/assets/docs/As_Politicas_Sociais_as_Lutas_Defensivas_do_Welfare_State_e_a_Luta_Historica_pela_Jornada_de_Trabalho_de_10_horas.185201853.pdf, Acesso em 15 de nov 2018




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v11i2.30476

Direitos autorais 2019 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.