Referencial Gramsciano na produção da Revista Germinal: 10 anos de existência

Karine Martins Sobral, Rafaela Maria Teixeira Teófilo, José Deribaldo Gomes Dos Santos

Resumo


É notório o crescimento do estudo e da difusão do pensamento de Antônio Gramsci no Brasil. Presume-se que a criação do Instituto de Gramsci no Brasil (IGS/Brasil), em 2015, tem contribuído para tal. A educação é uma das principais áreas onde se concentra o maior número de estudos acerca do universo categorial que envolve o autor dos Cadernos do Cárcere*. O objetivo do presente artigo consiste em avaliar como tem se dado a presença do referencial gramsciano nesses 10 anos da revista Germinal. Tomando esse referencial como base, pleiteia-se, especificamente, debater algumas das mais significativas categorias gramscianas utilizadas para compreender o fenômeno educativo.


Es notorio el crecimiento del estudio y de la difusión del pensamiento de Antônio Gramsci en Brasil. Pensamos que la creación del Instituto de Gramsci en Brasil (IGS / Brasil), en 2015, ha contribuido a ello. La educación es una de las principales áreas donde se concentra el mayor número de estudios acerca del universo categorial que involucra al autor de los Cuadernos de la Cárcel. El objetivo del presente artículo consiste en evaluar cómo se ha dado la presencia del referencial gramsciano en esos 10 años de la revista Germinal. Tomando ese referencial como base, se pretende, específicamente, debatir algunas de las más significativas categorías gramscianas utilizadas para comprender el fenómeno educativo.
It’s remarkable the growth of the study and diffusion of Antônio Gramsci's thinking in Brazil. We believe that the creation of the Gramsci Institute in Brazil (IGS / Brazil) in 2015 has contributed to this. Education is one of the main areas where the largest number of studies about the categorial universe involving The Prison Notebooks’ author is concentrated. The aim of the present paper is to evaluate how the presence of the Gramscian referential has occurred in these 10 years of the Germinal magazine. Taking this referential as basis, it is specifically intended to discuss some of the most significant Gramscian categories used to understand the educational phenomenon.


Palavras-chave


Gramsci; Educação; Hegemonia

Texto completo:

PDF

Referências


BITTAR, Marisa. Buscando Gramsci na obra de Brian Simon. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 7, n. 2, p. 146-162, dez. 2015. ISSN: 2175-5604.

BUTTIGIEG, J. Educação e hegemonia. In: COUTINHO, C. N.; TEIXEIRA, A. de P. (Org.). Ler Gramsci, entender a realidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, p. 39-50.

DIAS, Edmundo Fernandes. Educação, luta de classes e revolução. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Londrina, v. 3, n. 43-49, p.; fev. 2011.

________________. Modo de produção e educação. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Londrina, v. 1, n. 1, p. 34-42, jun. 2009.

______________. Gramsci em Turim: a construção do conceito de hegemonia. São Paulo. Ed. Xamã, 2010. 1ª edição.

GRAMSCI, Antônio. Caderno 12. IN: Cadernos do Cárcere. Vol. 2 (Os intelectuais. O princípio educativo. Jornalismo). Edição e Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Co-edição de Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. 4ª Ed. – Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

_________. Escritos Políticos. Vol 1, organização e tradução, Carlos Nelson Coutinho; Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

LEITE, Valter de Jesus. Resumo. Educação do Campo e Ensaios da Escola do Trabalho: A materialização do trabalho como princípio educativo na escola itinerante do MST Paraná. 2017. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Área de concentração: Sociedade, Estado e Educação, Linha de Pesquisa: Educação, Políticas Sociais e Estado, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Cascavel, 2017. In: Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 9, n. 3, p. 395, dez. 2017. ISSN: 2175-5604.

MANACORDA, Mario Alighiero. O princípio educativo em Gramsci: Americanismo e conformismo. Tradução: William Laços, Ed. Alínea, campinas – SP, 2008. (coleção educação em debate).

NOSELLA, Paolo. A escola de Gramsci. 3ª Ed rev e atual. São Paulo. Ed. Cortez, 2004.

ROSAS, Fernando. Seis teses sobre memória e hegemonia, ou o retorno da política. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Londrina, v. 1, n. 1, p. 84-87, jun. 2009.

SAVIANI, Dermeval. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. IN: Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. Orgs: Celso João Ferreti, Petrópolis, RJ. 2ª Ed. Ed. Vozes, 1994.

SCHLESENER, Anita Helena. Crise e revolução: observações a partir dos escritos de Antônio Gramsci. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Londrina, v. 1, n. 2, p. 69-78; jan. 2010.

SCHLESENER, Anita Helena. Educação e emancipação: limites e possibilidades. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n. 1, p. 53-62, jun. 2013.

VILLELA, Fábio Fernandes. Educação e hegemonia: a formação de intelectuais na Itália dos anos 20, a organização da industrialização em São Paulo e a construção da hegemonia burguesa no brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 6, n. 2, p. 77-94, dez. 2014.

ZANELLA, José Luiz. Resumo. O trabalho como princípio educativo do ensino. 2004. 311f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 6, n. 2, p. 204, dez. 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v10i3.28516

Direitos autorais 2019 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.