INSPIRAÇÕES DA RÚSSIA REVOLUCIONÁRIA: POTENCIALIDADES DA PEDAGOGIA DO MEIO PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS TRABALHADORES

Jaqueline Pereira Ventura, Francisco Gilson Oliveira

Resumo


Este artigo propõe uma reflexão sobre as potencialidades da experiência político-pedagógica das escolas-comunas – primeiros anos de construção do socialismo na Rússia – para o fazer pedagógico da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Enfatizando as contribuições de Moisey Pistrak e Viktor Nikholae Shulgin, e vinculando-as às particularidades da EJA, o artigo analisa a proposta da pedagogia do meio, que articula as categorias atualidade, autogestão e trabalho e objetiva formar sujeitos capazes de se autodirigirem, de se auto-organizarem e de se comprometerem com a transformação social. Conclui que essa experiência potencializa criativamente as estratégias metodológicas da EJA, em particular ao prover categorias críticas e emancipatórias às especificidades próprias dessa modalidade da Educação Básica brasileira.


Palavras-chave


Pedagogia Socialista; Educação de Jovens e Adultos;Trabalho e Educação

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2000.

CIAVATTA, M. RUMMERT, S. M. As implicações políticas e pedagógicas do currículo na Educação de Jovens e Adultos integrada à formação profissional. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 111, p. 461-480, abr./jun. 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 31. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

______. Pedagogia do oprimido. 39. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

FREITAS, L. C. de. A luta por uma pedagogia do meio: revisitando o conceito. In: PISTRAK, M. M. A escola-comuna. Tradução de Luiz Carlos de Freitas e Alexandra Marenich. 1. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

______. Todo o projeto educativo da revolução está ligado à construção do socialismo. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz, Rio de Janeiro, 2017. Entrevista concedida à Cátia Guimarães. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. v. 2, 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

KRUPSKAYA, N. K. Prefácio à edição russa (A escola-comuna). In: PISTRAK, M. M. (Org.). A escola-comuna. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Expressão popular, 2008.

OLIVEIRA, F. G. R. A educação para transformação social e a consolidação da educação escolar burguesa: antagonismos, distanciamentos e aproximações. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

PISTRAK, M. M. (Org.). A escola-comuna. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

______. Ensaio sobre a escola politécnica. 1. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

______. Fundamentos da escola do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2000.

RUMMERT, S. M. A educação de jovens e adultos trabalhadores brasileiros no século XXI. O “novo” que reitera antiga destituição de direitos. Sísifo, v. 2, p. 35-50, 2007.

______. Educação de jovens e adultos trabalhadores no Brasil atual: do simulacro à emancipação. Perspectiva, Florianópolis, v. 26, n. 1, p. 175-208, jan./jun. 2008.

RUMMERT, S. M.; ALGEBAILE, E.; VENTURA, J. P. Educação e formação humana no cenário de integração subalterna no capital-imperialismo. In: SILVA, M. M. da; EVANGELISTA, O.; QUARTIERO, E. M. (Orgs.). Jovens, Trabalho e Educação: a conexão subordinada de formação para o capital. 1. ed. Campinas: Mercado das Letras, 2012, v. 1, p. 15-70.

RUMMERT, S. M.; VENTURA, J. P. Políticas públicas para educação de jovens e adultos no Brasil: a permanente (re)construção da subalternidade – considerações sobre os Programas Brasil Alfabetizado e Fazendo Escola. Educar, Curitiba, n. 29, p. 29-45, 2007, UFPR 29. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

SHULGIN, V. N. Rumo ao politecnicismo (artigos e conferências). Tradução de Alexey Lazarev e Luiz Carlos de Freitas. 1. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

THOMPSON, E. A Formação da Classe Operária Inglesa I – a árvore da liberdade. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

______. Educação de Jovens e Adultos ou Educação da Classe Trabalhadora? Concepções em disputa na contemporaneidade brasileira. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.

VENTURA, J. P.; BONFIM, M. I. Formação de Professores e Educação de Jovens e Adultos: o formal e o real nas licenciaturas. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 2, p. 211-227, abr./jun., 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v10i2.27523

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.