A potência crítico-criativa do humor e do riso na educação

Guilherme Torres Corrêa

Resumo


O objetivo deste artigo é compreender o humor e o riso como uma dimensão possível, quiçá necessária, do processo educativo, sobretudo por sua potência crítico-criativa. Acreditamos que essa potência reside não só em sua qualidade de tornar o processo educativo mais leve e agradável, mas especialmente em sua capacidade de fazer vacilar o estabelecido (a sociedade capitalista), o sedimentado (a cultura burguesa), criando, assim, aberturas, deslocamentos e rupturas no seio do real, da ordem social e pedagógica vigente.

 


Palavras-chave


humor; riso; educação; materialismo histórico.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, Verena. O riso e o risível: na história do pensamento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.: FGV, 1999.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: LÖWY, Michael. Walter Benjamin: aviso de incêndio: uma leitura das teses “Sobre o conceito de história”. São Paulo: Boitempo, 2005.

COMTE-SPONVILLE, André. Pequeno tratado das grandes virtudes. 2ª ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

DUARTE, Newton. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. 2ª ed. Campinas: Autores Associados, 1999.

GOLDMANN, Lucien. A reificação. In: ______. Dialética e Cultura. 3ªed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

GORDON, Mordechai. Humor, Laughter and Human Flourishing: A Philosophical Exploration of the Laughing Animal. New York: Springer, 2014.

GRIFFITHS, Morwenna; PETERS, Michael A. ‘I Knew Jean-Paul Sartre’: Philosophy of education as comedy. Educational Philosophy and Theory, v. 46, n. 2, p. 132–147, 2014.

HARVEY, David. The body as an accumulation strategy. In:______. Spaces of hope. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2000.

IASI, Mauro Luis. Ensaios sobre consciência e emancipação. 2a ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

KONDER, Leandro. Barão de Itararé: o humorista da democracia. São Paulo: Brasiliense, 1983.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Trad. Célia Neves e Alderico Toríbio. 2ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

______. On laughter. In: SATTERWHITE, James H. (org.). The crisis of modernity: Karel Kosik’s essays and observations from the 1968 era. Boston: Rowman & Littlefield, 1995.

LARROSA, Jorge. Elogio do riso. In:______. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. 5ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. 2ª ed. São Paulo: Boitempo, 2010.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

MINOIS, Georges. História do riso e do escárnio. São Paulo: Editora UNESP, 2003.

MINTO, Lalo Watanabe. A educação da miséria: particularidade capitalista e educação superior no Brasil. São Paulo: Outras Expressões, 2014.

NEVES, Luiz Felipe Baêta. O paradoxo do coringa e o jogo do poder & saber. Rio de Janeiro: Edições Achiamé Ltda, 1979.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. 32ª ed. Campinas: Autores Associados, 1999.

______. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 7ª ed. Campinas: Autores Associados, 2000.

SILVA, Franklin Leopoldo e. Universidade, cidade, cidadania. São Paulo: Hedra, 2014.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da práxis. 2ª ed. Buenos Aires: Clacso : São Paulo: Expressão Popular, 2011.

VLIEGHE, Joris. Laughter as Immanent Life-Affirmation: Reconsidering the educational value of laughter through a Bakhtinian lens. Educational Philosophy and Theory, v. 46, n. 2, p. 148–161, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v11i2.26601

Direitos autorais 2019 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.