A EDUCAÇÃO ESCOLAR E FORMAÇÃO PARA O MERCADO: A “EMPREGABILIADE” E A PRODUÇÃO DO TRABALHO SUPÉRFLUO

Marco Antônio de Oliveira Gomes, Gedeli Ferrazzo, Cláudia Barbosa Lôbo

Resumo


O artigo analisa a impossibilidade de a educação escolar cumprir o papel de inserção do trabalhador no merca do de trabalho. No contexto da crise estrutural do capitalismo, verifica-se o propósito burguês de conservação da ordem, utilizando-se de ideias abstratas como empregabilidade e empreendedorismo. Trata-se de proposições que responsabilizam o trabalhador pelo desemprego. O referencial teórico teve aporte em autores como Marx e Engels (1984, 2007), Frigotto (1999), Outhwaithe e Bottomore (1996) dentre outros. Por fim, conclui-se que a luta pela escola pública possibilita o acesso ao que há de mais rico na produção humana. Seu objetivo final é contribuir para preparar o caminho para uma revolução radical que supere a ordem burguesa e emancipe todos os homens.


Palavras-chave


Educação escolar. Mercado de Trabalho. Fracasso aos trabalhadores.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v10i2.23519

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.