CRÍTICA DA POLÍTICA EDUCACIONAL

Elza Margarida de Mendonça Peixoto

Resumo


Apanhar múltiplas determinações da política educacional no Brasil é a tarefa – não necessariamente esgotada – que este V. 9, N. 1 de Germinal: Marxismo e Educação em Debate se impõe, em uma Conjuntura em que a luta de classes não dá trégua, o capital avança vorazmente contra direitos civis, políticos, sociais e trabalhistas e a classe trabalhadora brasileira – derrotada e dividida (IASI, 2017, p. 376) em decorrência do apassivamento do último período – principia o processo de ocupar as ruas em resistência!! Nos últimos 10 meses o ilegítimo Governo Temer – com um dos menores índices de aprovação da história dos Governos no Brasil (4%), o que demonstra que ser impopular não é sufiente para derrubar um governo – segue empenhado num conjunto de reformas trabalhista, da previdência e educacional assentadas numa agenda conservadora, configurando-se uma reforma constitucional, que, nos limites de referência da democracia burguesa, não passou pelo crivo das urnas.

Palavras-chave


Crítica; Política; Economia Política

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v9i1.22419

ISSN: 2175-5604