A ATIVIDADE DE ENSINO NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A RELAÇÃO DIALÉTICA ENTRE CONTEÚDO E FORMA.

Antonio Leonan Alves Ferreira

Resumo


Esta pesquisa tem como objeto de estudo a prática de ensino na educação física. A preponderância da lógica das formas em detrimento à lógica dos conteúdos na prática de ensino na educação física tem comprometido o desenvolvimento do pensamento conceitual dos alunos, pois a abordagem dos conteúdos fica no limite do pensamento subjugado à captação sensorial. Para a análise do problema, definimos dois objetivos: primeiro, destacar o papel dos conteúdos de ensino da educação física no desenvolvimento do pensamento conceitual nos alunos; segundo, elucidar a relação dialética entre forma e conteúdo no ensino da educação física. O método de investigação constitui-se na caracterização geral da estrutura da atividade engendrada por condições históricas concretas, para depois, a partir desta estrutura, pôr em evidência as particularidades psicológicas do processo de interiorização da estrutura na consciência dos homens. Na atividade de ensino na educação física, a apropriação pelos indivíduos do conteúdo das formas mais complexas do desenvolvimento histórico-social da corporalidade, a atividade esportiva, determinada pelas leis da natureza e da sociedade, é objetivada no autodomínio da corporalidade; o procedimento de formação de hábitos motores pela via da adaptação às condições existentes durante a realização da ação é substituído pela formação de habilidades motoras desde as formas mais desenvolvidas do conteúdo da atividade, pela via da transformação de ações conscientes autônomas em operações motoras auxiliares, o que só poderá se realizar pela formação e realização do movimento voluntário nos alunos nas aulas de educação física. A forma mais desenvolvida da experiência sócio-histórica e ontogenética da corporalidade humana acumulada em objetos sociais é a atividade esportiva complexa culturalmente formada. A sua estrutura condensa atividade humano-genérica com graus elevados de complexidade. Sua gênese é a atividade produtiva e o jogo, a sua forma embrionária – quando os fins das ações passaram a motivo da atividade, dando origem a novas necessidades. Assim, a atividade esportiva é uma expressão universal do desenvolvimento da corporalidade humana, uma relação ativa, consciente e intencional, porém indireta, entre o indivíduo e seu corpo, do indivíduo consigo mesmo e com os outros homens, produzida na história do gênero humano, portanto, a expressão mais geral deste tipo particular de atividade. A transformação de ações conscientes autônomas, que tem por base o conteúdo acumulado na atividade, em operações motoras auxiliares, possibilitará aos alunos a superação do pensamento subjugado à captação sensorial em direção ao pensamento conceitual, pelo desenvolvimento da percepção, atenção, memória, linguagem e pensamento na esteira deste tipo particular de atividade complexa, requisito ao autodomínio da corporalidade, quando a imagem, que é subjetivação do objetivado historicamente, realiza-se, necessariamente, na corporalidade dos indivíduos.


Palavras-chave


Atividade de Ensino na Educação Física; Desenvolvimento histórico-social da corporalidade; Autodomínio da corporalidade; Movimento voluntário; Dialética conteúdo-forma.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v10i1.17309

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.