A CRÍTICA CRÍTICA DOS GIROS EPISTEMOLÓGICOS E/OU LINGUÍSTICOS NO DEBATE POLÍTICO-EPISTEMOLÓGICO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO FÍSICA

Michele Sacardo, Régis Henrique dos Reis Silva

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir sucintamente a crítica crítica dos giros epistemológicos e/ou linguísticos no debate político-epistemológico da área da Educação Física brasileira. Para tanto, retomamos brevemente o processo de gênese e desenvolvimento do debate político-epistemológico da Educação Física brasileira. Posteriormente, discutimos os limites e inconsistências do discurso “pluralista” de um grupo de epistemólogos na referida área, e a defesa das concepções de verdade e realidade como categorias histórico-ontológicos. Concluímos que a perspectiva dos defensores dos giros epistemológicos e/ou linguísticos não consegueavançar para além das práticas descritivas da verdade, entendida a partir de consensos intersubjetivos e da implementação de uma postura conservadora.

Palavras-chave: 


Palavras-chave


Epistemologia; Ontologia; Giros epistemológico / linguísticos; Marxismo; Educação Física.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v9i2.15883

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.