CONTRADIÇÕES, MEDIAÇÕES E POSSIBILIDADES AVALIATIVAS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA NOVA SOCIEDADE

Vicente Cabrera Calheiros, Maristela da Silva Souza

Resumo


Este texto analisa parte das contradições, mediações e possibilidades da prática avaliativa na Escola Estadual Nova Sociedade, tendo como foco central a análise do Projeto Político Pedagógico (PPP), do Regimento escolar e a observação de aulas de Educação Física. A escolha desta escola deu-se pelo fato de sua aproximação político-pedagógica ao projeto de educação construído pelo MST, tendo forte aproximação com o Projeto de Educação do Campo, sendo este, em tese, um contraponto ao projeto de Educação Rural, possuindo objetivos distintos frente o processo de educação e formação dos estudantes. A fim de compreender o conjunto de relações que permeiam o objetivo do estudo, empreendeu-se a realização de entrevistas com parte dos professores e de um questionário com os estudantes da turma observada. Centra-se o olhar na categoria avaliação por compreender que esta categoria é a mais decisiva para assegurar a função social que escola tem na sociedade capitalista. Nesta perspectiva, a escola tendo objetivos pautados no projeto de Educação do Campo, a avaliação será, em tese, distinta das práticas que promovem a seleção, hierarquização e exclusão dos estudantes do processo letivo, características avaliativas do Projeto de Educação Rural. Considera-se, por fim, que o movimento do capital se faz presente em todos os espaços e tempos pedagógicos, manifestando-se no projeto de educação e políticas públicas, na organização do trabalho pedagógico no âmbito do PPP e no interior da sala de aula, ao mesmo tempo que a resistência do MST, em geral, e deste professor, em particular, também existe.


Palavras-chave


Trabalho pedagógico, Educação Física, Escola, MST.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v9i1.15366

ISSN: 2175-5604