EDUCAÇÃO PROFISSIONAL, CAPITAL E FORÇA DE TRABALHO NO BRASIL

Michel Goulart da Silva

Resumo


Discute-se neste ensaio a educação profissional e seu papel na composição do valor da força de trabalho, enfatizando o papel dos cursos técnicos de nível médio. Procurar-se discutir de que forma as políticas mais recentes voltadas à educação profissional contribuem para o processo de produção e reprodução do capital, na medida em que a proposta dos institutos federais permite, por um lado, garantir a diminuição do valor da força do trabalho e, por outro, procura se relacionar diretamente aos interesses econômicos dos capitalistas nas localidades em que são instalados os campi.


Palavras-chave


Capital; Divisão do Trabalho; Educação Profissional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v7i2.13374

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.