LUTA POR RECONHECIMENTO ENTRE OS CAMPONESES SEM TERRA NO ALTO-SERTÃO DAS ALAGOAS – O CONFLITO SOCIOAMBIENTAL COMO POSSE POLÍTICA DA TERRA

Wellington Amâncio Da Silva, Feliciano Mira

Resumo


Este artigo analisa os conflitos socioambientais como categoria política de reivindicação de terra a partir das experiências de assentamentos do MST no alto-sertão das Alagoas, em Delmiro Gouveia. Buscou-se relacionar este modo de interação ambiental com a literatura sobre conflitos socioambientais (BURSZTYN, 2001, 2008; LITTLE, 2001, ZHOURI, 2006, 2008), na perspectiva de posse da terra, dos conflitos de visões e práxis sobre a terra como meio ambiente de subsistência, de produção material, de cultura e de sentidos outros. Entrevistaram-se alguns protagonistas entre os trabalhadores rurais e fez-se um levantamento através de questionários com uma parcela da sociedade não envolvida com o MST no intuito de traçar um panorama sobre o que é a terra como meio ambiental e a luta pela terra como política ecológica (LITTLE, 2006) em seus aspectos de política socioambiental.

 

 


Palavras-chave


Conflitos socioambientais; MST; política ecológica; Ecologia Humana.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v8i2.13344

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.